Problema do São Paulo não é treinador, diz Muricy, elogiando Dorival

Ícone do último período glorioso da história do São Paulo, Muricy Ramalho descarta retornar ao clube como treinador. Distante da rotina desgastante do futebol desde meados de 2016, ele elogia e absolve o técnico Dorival Júnior de culpa pelo atual momento do Tricolor, que ocupa a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

“Poderia ajudar de outra forma, mas como treinador não. Até porque o problema do São Paulo não é treinador. O Dorival já mostrou várias vezes que é um grande treinador. Acontece que são vários problemas”, afirmou, nesta segunda-feira, em entrevista àRádio Bandeirantes. Em seguida, ele ressaltou que a reformulação de elenco em meio à temporada foi decisiva em mais uma campanha fraca do clube no torneio nacional.

“O São Paulo teve que vender vários jogadores, os jogadores queriam ir embora, e nessa troca não tem um time. Em uma competição tão dura como o Brasileiro, essa troca não perdoa porque o time tem de se entrosar, contrataram alguns estrangeiros que têm de se adaptar ao país, tudo isso é complicado”, diagnosticou.

Em entrevista exclusiva àGazeta Esportivano ano passado, Muricy já havia dito que poderia contribuir com o São Paulo em algum cargo que não o de técnico. Nos últimos anos, ele sofreu uma série de problemas de saúde em função do estresse do cargo. No momento é comentarista dos canaisSportve acena em dar prosseguimento à nova profissão.

“O futebol é bom, mas a pressão é enorme. Em termos de saúde, não é bom. Decidi cuidar da minha saúde, aproximar da minha família, estou feliz agora, uma nova fase da minha vida, comentando os jogos, estou me sentindo bem. Já tive convites para treinar alguns times, mas disse que não”, explicou.

Questionado se aceitaria trabalhar numa função como diretor ou coordenador técnico, Muricy despistou, mas desenhou um cenário pessimista para tais cargos no futebol brasileiro. Em compensação, não colocou empecilhos em ser subordinado do atual presidente do São Paulo Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco.

Da Gazeta Esportiva