Projeto Apice On foi desenvolvido pelo Ministério da Saúde tendo a UFMG como executora

Com participação ativa de unidades filiadas à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), o Ministério da Saúde (MS) lançou em agosto um programa para a implementação e melhoria das práticas nas áreas da atenção obstétrica e neonatal em hospitais brasileiros. O termo de adesão e compromisso de cooperação foi assinado pelos 96 hospitais participantes, incluindo as 23 unidades filiadas à Ebserh, durante o Seminário Nacional do Projeto Aprimoramento e Inovação no Cuidado e Ensino em Obstetrícia e Neonatologia (Apice On).

O Projeto Apice On foi desenvolvido pelo MS tendo a Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) como executora. A iniciativa preconiza a realização de ações de qualificação nas áreas de atenção ao parto, nascimento e abortamento; saúde sexual e saúde reprodutiva; e atenção humanizada às mulheres em situação de violência sexual. Além disso, o Projeto tem como objetivo estimular o desenvolvimento de pesquisas de inovação relativas a esses temas.

O Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados (HU-UFGD) é uma das filiais Ebserh que integram o projeto. “Esse projeto é para marcar história. O programa vem a integrar justamente os três pilares de um hospital universitário: o ensino, a pesquisa, sem nunca deixar de voltar a atenção para a saúde da população mais necessitada, que tem nos hospitais universitários a sua salvaguarda, em especial para mães e filhos”, apontou o presidente da Ebserh, Kleber Morais, durante a cerimônia de lançamento do projeto, em Brasília.

O Apice On é uma prioridade do MS para o triênio 2017/2019 e pretende ampliar a integração entre ensino e serviço de saúde. A ênfase é a qualificação das práticas de cuidado e a formação profissional, com foco na mudança de modelo de atenção com práticas baseadas em evidências científicas, humanização, segurança e garantia de direitos na obstetrícia e neonatologia. O programa abrange 95 hospitais de todos os estados brasileiros que realizam atividade de ensino.

Também são parceiros da iniciativa o Instituto Fernandes Figueira/Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o Ministério da Educação (MEC) e a Associação Brasileira de Hospitais Universitários e de Ensino (Abrahue).