Marcelo Miglioli prepara lançamento de pré-candidatura em Amambai, dia 30

Marcelo Miglioli durante lançamento da pré-candidatura em Jardim – Assessoria

Depois do sucesso que ocorreu no lançamento da pré-candidatura em Jardim, onde mais de 1.500 pessoas, oito prefeitos e três deputados estaduais compareceram, o engenheiro Marcelo Miglioli, ex-secretário de Infraestrutura do Governo do Estado, prepara o segundo lançamento para Amambai, no próximo dia 30, quarta-feira. “Estamos reunindo as lideranças e a comunidade e anunciando uma proposta baseada na seriedade, no trabalho e na larga experiência de quem coordenou a construção de mais de mil obras em 79 municípios”, avalia Miglioli, animado com o andamento da pré-candidatura.

Nos encontros regionais denominados “MS que faz”, Marcelo Miglioli apresenta sua trajetória de vida e seu principal resultado que são os três anos e três meses à frente da Secretaria de Infraestrutura. “O governo Reinaldo Azambuja precisa continuar para o bem de Mato Grosso do Sul”, afirma o ex-secretário, assinalando que “sem empréstimo, na maior crise dos últimos 100 anos, Reinaldo fez entregas e está fazendo em todos os municípios, elevando a qualidade de vida, melhorando a saúde, a educação e a segurança do Estado”.

Aliado de dezenas de prefeitos, Miglioli está percorrendo a região da fronteira sul nesta quinta e sexta-feira para convidar e mobilizar as lideranças de Sete Quedas, Paranhos, Coronel Sapucaia, Antônio João, Aral Moreira, Caarapó e Ponta Porã para o encontro de Amambai, onde o prefeito Dr. Bandeira tem assegurado presença forte na pré-candidatura, porque conhece o trabalho de Marcelo Miglioli.

“É um homem preparado, determinado, que conhece bem a nossa realidade e sabe onde e como atrair os recursos para o nosso Estado”, afirma o prefeito, salientando que Amambai é um bom exemplo da capacidade do ex-secretário. “Mas não é só aqui, em todos os municípios a gente vê as marcas do trabalho do Marcelo”.

“Já disse que nessa eleição ou o país toma um rumo diferente ou vai para o buraco. E quem vai decidir isso é o eleitor, escolhendo bem os nomes, analisando bem os candidatos e optado por gente que trabalha e tem nome limpo. Nesse sentido, ofereço o meu nome para apreciação. Não serei acusado de omisso”, conclui.