O técnico Cuca reuniu o elenco do Palmeiras no vestiário da Academia de Futebol, nesta sexta-feira, para dizer que não relacionaria Felipe Melo para o jogo deste sábado contra o Avaí, na arena do Verdão, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Cuca justificou sua decisão aos jogadores dizendo que Felipe Melo “está tumultuando o ambiente, e não é hora de termos ninguém tumultuando o ambiente”.

Cuca e Felipe Melo já vinham se estranhando nos bastidores há tempos. O técnico não é fã do estilo de futebol do volante e também não o vê como boa influência para o elenco. Melo, por sua vez, também não andava feliz por ser eventualmente colocado na reserva.

A faísca que provocou a explosão entre Cuca e Felipe Melo se deu após a eliminação na Copa do Brasil para o Cruzeiro, na quarta-feira (empate em 1 a 1 em Belo Horizonte). Uma frase atribuída ao volante – “tem sacanagem no time” – chegou aos ouvidos do treinador, que ficou possesso. Cuca gosta de prezar pelo bom ambiente no grupo e entendeu que era hora de afastar Felipe Melo.

Felipe Melo foi contratado em janeiro, um mês após a saída de Cuca (o técnico optou por ficar alguns meses sem trabalhar após a conquista do Campeonato Brasileiro). O volante era titular absoluto com Eduardo Baptista, mas, após o retorno de Cuca, chegou a se sentar no banco de reservas em alguns jogos. Motivo: o técnico gosta de outro perfil de volante, mais rápido e com facilidade para encaixar marcação homem a homem.

No começo, portanto, a não utilização de Felipe Melo era uma questão tática para Cuca. Mas, aos poucos, o clima entre os dois foi piorando.

O contrato do treinador com o Palmeiras vai até o fim de 2018. Já o vínculo do volante vai até dezembro de 2019. Ele tem apenas cinco jogos no Brasileirão, ou seja, ainda pode se transferir para outro clube da Série A.

Do Globo Esporte

Orteco