Mais de 30 pessoas continuam desaparecidas após impacto – Foto: Epa

As autoridades chinesas temem que o petroleiro iraniano Sanchi e o navio-cargueiro CF Crystal, de Hong Kong, explodam por conta do incêndio que atingiu ambas as embarcações no último sábado (6).

Segundo a TV estatal de Pequim, “CCTV”, autoridades locais já deram alarme para evitar a área no mar próximo à foz do rio Yangtze, perto da cidade de Xangai.

No entanto, a busca pelos 32 desaparecidos (30 iranianos e dois cidadãos de Bangladesh) continuam no local, apesar de sofrer com atrasos por conta da nuvem tóxica. Também está em andamento a tentativa de controle do vazamento de petróleo no mar.

O Sanchi, que tinha registro no Panamá, estava a caminho da Coreia do Sul, mas colidiu com o navio de Hong Kong a cerca de 160 milhas do largo de Xangai, em um episódio que ainda não está claro para as autoridades.

De acordo com as autoridades chinesas, o Sanchi carregava 150 mil toneladas (quase um milhão de barris) de um tipo de refinado de petróleo. O temor é que a explosão torne a tragédia ambiental ainda mais grave.

Da AnsaFlash