O técnico Renato Portaluppi assume a temporada do Grêmio com algumas missões imediatas pela frente, após a má jornada do grupo de transição no Gauchão. Pela frente, o treinador tentará estancar os gols sofridos, na sua maioria absoluta no segundo tempo, assim como elevar a campanha no estadual e, com isso, apagar a imagem da pior arrancada da história do clube na competição.

A jovem equipe treinada por César Bueno e reforçada por algumas das caras novas do time profissional se despediu do Gauchão com um ponto ganho em 12 disputados e um retrospecto nada invejável. Um dos reflexos mais visíveis do time foi a queda de rendimento no segundo tempo das partidas. A defesa, a que levou mais gols no estadual até o momento, sofreu nove dos 11 na segunda metade dos jogos – um índice de 82%.

Para acreditar em uma campanha de recuperação, Renato conta com o grupo tricampeão da América. E nem mesmo a falta de ritmo serve para preocupar os jogadores gremistas. Capitão do time, Geromel é um que ressalta a importância do Gauchão para o clube.

– Valorizamos muito o Gauchão, faz muitos anos que não ganhamos, vamos fazer todo o possível. Não é que a gente abriu mão, só voltamos para casa em 18 de dezembro e tivemos que ter mais tempo para férias por questões obrigatórias. Pressão existe sim, mas é um grupo experiente e vamos saber lidar – analisa Geromel.

Geromel também mostra confiança na melhora da defesa. A força do sistema defensivo, aliás, é uma das características do Grêmio campeão da Libertadores, assim como o do penta da Copa do Brasil.

– Tenho certeza que sábado vamos dar uma amostra da nossa qualidade. Assim como fizemos ano passado, vamos mostrar nesse ano – comenta.

A campanha do grupo de transição
Na estreia, em Ijuí, Ronaldinho Gramadense tirou o que seria a vitória gremista ao marcar o gol do empate por 1 a 1 aos 46 minutos do segundo tempo. O time ainda escapou de perder: no último lance, Gustavo Xuxa acertou a trave.

Depois, recebendo o Caxias, o Grêmio levou o que são, até agora, os únicos gols sofridos no primeiro tempo de um jogo. Nicolas e Laércio marcaram para o Grená, que viraria uma derrota de 3 a 1 para vitória de 5 a 3 na etapa final. De novo, contando com um gol nos acréscimos – Daniel Cruz selou o triunfo aos 49 minutos.

Em Santa Cruz do Sul, de novo um gol na finaleira: aos 48 minutos do segundo tempo, Toto mandou o que seria um chute direto para fora. Seria. A bola desviou em Mendonça e enganou Bruno Grassi. Cena que se repetiu no estádio Passo D’Areia, mas não nos acréscimos. Aos 30, Éverton Alemão cobrou falta, a bola bateu na barreira e tirou o camisa 1 do lance, no primeiro dos dois gols marcados pelo São José – o segundo sairia aos 34.

– É o terceiro gol que tomamos que bate em alguém e cai no nosso gol. Tivemos azar de levar gols estranhos e sofremos nesses jogos – afirmou o técnico César Bueno após a derrota na quarta rodada.

O motivo de tantos gols sofridos, para Bueno, foi a inconsistência entre os sistemas ofensivo e defensivo, além, claro, do desentrosamento entre os garotos da base e os reforços que usaram o time de transição para ganhar ritmo de jogo.

Apesar de ter somado apenas um ponto até aqui, apenas três pontos separam o Grêmio do Cruzeiro-RS, último time dentro do G-8. E é justamente o time de Gravataí que irá encarar o Tricolor na próxima rodada, no sábado, na Arena. Será o primeiro jogo do time principal sob o comando de Renato Portaluppi na temporada.

Do Globo Esporte