Regularização dos repasses para a capital e demais municípios é a estratégia do governo para melhorar atendimento na saúde em todas as regiões do Estado

Santa Casa de Campo Grande foi a instituição que mais recebeu recursos do governo do Estado, de janeiro até este mês – Foto de Ricardo Minella

O governo do Estado repassou desde o início deste ano, recursos da ordem de R$ 53.470.968,14 para o setor de saúde de Campo Grande. São transferências destinadas ao Município para o pagamento de serviços como SAMU, UPA, Agentes Comunitários de Saúde e de Combate a Endemias, além de hospitais como a Santa Casa, São Julião, Hospital do Câncer, entre outros.

A regularização dos repasses para os municípios é a estratégia adotada pelo governo para ajudar na melhoria do atendimento em todas as regiões do Estado. “Esse é o desafio proposto pelo governador Reinaldo Azambuja, cuja meta é possibilitar aos gestores municipais, que são os prefeitos e secretários municipais de Saúde, ofertarem uma saúde de qualidade aos usuários do Sistema Único de Saúde”, explica o secretário estadual de Saúde Geraldo Resende.

Sendo referência estadual para diversos serviços de alta complexidade, Campo Grande sofre um impacto muito grande na procura por atendimento, oriunda de todos os municípios de Mato Grosso do Sul. “Muitas vezes ocorrem superlotações em unidades de saúde da capital. Estamos trabalhando para reorganizar a atenção básica e hospitalar, a fim de que gradativamente boa parte desses usuários possam ser atendidos em seus municípios de origem”, ressalta o secretário.

Repasses

Do total de R$ 53,4 milhões transferidos ao Município pelo governo do Estado de janeiro para cá, R$ 16.429.000,00 foram destinados à Santa Casa de Campo Grande. “Por determinação do governador Reinaldo Azambuja, fizemos um grande esforço para colocar em dia os pagamentos a essa unidade hospitalar, pela importância estratégica que ela tem na saúde de nosso Estado”, explica Geraldo.

Além desses valores, a Santa Casa vai receber, mensalmente, o valor de R$ 1.750.000,00 por meio de um convênio, para que a unidade hospitalar aumente a oferta de atendimento em média e alta complexidade em cirurgias, principalmente na área de ortodopedia, além de leitos, exames e consultas.

O segundo maior valor de transferências do Estado, no período, somou R$ 15.347.871,65 e referem-se a pagamentos de incentivos diversos, como Agentes de Combate a Endemias e Agentes Comunitários de Saúde, assistência farmacêutica, saúde mental, especialidades odontológicas, saúde no sistema penitenciário, além de convênios, como o da APAE – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais.

O Hospital do Câncer de Campo Grande é outra instituição que obteve transferência significativa do governo do Estado no período, de R$ 8.550.000,00. Para pagamento dos serviços prestados pela UPA (Unidade de Pronto Atendimento), o tesouro estadual transferiu, para o Município, R$ 4,2 milhões. Na rubrica HFSUS (Hospitais Filantrópicos no SUS) foram pagos ao Município um total de R$ 3.432.864,64, beneficiando instituições como Hospital do Câncer, Maternidade Campo Grande, Hospital São Julião, entre outras.

Com transferências que somam R$ 2.568.666,85, o Hospital São Julião também foi beneficiado, da mesma forma que o Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (HUMAP), que foi contemplado com repasses que totalizam R$ 1.514.334,00.