Trabalhadores das indústrias do vestuário do Estado durante treinamento – Assessoria

A 2ª Feira Tecnológica do Vestuário do Senai Empresa começou, nesta terça-feira (16/07), na Faculdade do Senai de Campo Grande, com um treinamento promovido pela Silmaq, uma das maiores fornecedoras de equipamentos para a indústria têxtil da América Latina, para os trabalhadores das indústrias do vestuário do Estado. O evento, que prossegue até quinta-feira (17/07), das 10 às 20 horas, tem como objetivo aproximar os empresários do segmento têxtil do vestuário de representantes de serviços e produtos que atendam suas demandas e conta com uma programação intenção.

Segundo o gerente do Senai Empresa, Thales Saad, a capacitação é uma oportunidade de apresentar aos trabalhadores das indústrias sul-mato-grossenses novas tecnologias em maquinários, com conceitos de Indústria 4.0. “São máquinas com controle de produção, programação, buscando um processo mais eficiente, com menos custos e menos perdas. Então temos fornecedores com essas soluções para o segmento, junto com a qualificação de mão de obra. Além desse treinamento, também teremos mais uma oficina e palestras nesses três dias de Feira”, afirmou.

Na avaliação do empresário Luiz Eduardo Teixeira de Araújo, da Conser-maq, representante oficial da Silmaq em Mato Grosso do Sul, existe uma carência muito grande no Estado quando o assunto é mão de obra qualificada. “Como estamos com uma exposição dos nossos equipamentos, decidimos também oferecer um treinamento e apresentando as funcionalidades de cada máquina para os trabalhadores das indústrias. O objetivo é auxiliar os empresários a não ficarem tão dependentes de um técnico, porque os funcionários já vão ter uma noção melhor”, salientou.

Ao iniciar o treinamento da Silmaq, o técnico de máquinas de costura da Siruba/Juki, Edson Souza, explicou que a capacitação tem como principal objetivo apresentar as novidades do segmento têxtil. “Vamos explicar o que as máquinas oferecem de avançado para esse mercado têxtil. Entre os temas, terão destaque a caseadeira, a galoneira cilíndrica e algumas novidades, como overloque com embutidor automático e outros. A ideia é trazer novidades para implementar a produção e garantir maior competitividade para as empresas”, destacou.

Repercussão

Para a costureira Sandra Lira, da Kibela, de Campo Grande (MS), que também é líder de célula, é fundamental conhecer as funcionalidades dos equipamentos. “As máquinas têm se atualizado constantemente e a gente precisa acompanhar essa atualização, se não ficamos para trás. Acho muito legal esse tipo de treinamento para gente, até para aprender também como funcionam as máquinas de costura para fazer algum ajuste num momento de emergência”, comentou.

Na mesma linha, a costureira Eliane Rocha, da Tulypa, também em Campo Grande (MS), reforçou a importância de conhecer as novidades no segmento. “Eu acho muito legal a empresa proporcionar esse momento para que eu possa vir aprender mais, entender mais, porque acredito que o conhecimento que eu adquirir nesse treinamento vai contribuir para melhorar minha produtividade e de toda a equipe”, ressaltou.

Já o mecânico de máquinas de costura da Tip Top, Fagner Alex dos Santos Clima, veio de Sidrolândia, onde trabalha, para conhecer as novidades e levar novos conhecimentos para a empresa. “Já atuo há 18 anos nessa profissão, mas a cada dia surge uma novidade. Os equipamentos hoje são eletrônicos, tudo computadorizado, e precisamos estar atentos a essas mudanças”, finalizou.