O Santos descumpriu o segundo prazo para pagar o salário atrasado de fevereiro ao elenco. Além disso, há débito de dois meses nos direitos de imagem.

Primeiramente, a diretoria prometeu honrar os compromissos na sexta-feira retrasada. Na sequência, Bruno Carbone, do Comitê de Gestão, deu entrevista na Federação Paulista de Futebol na quinta e previu o pagamento em “48 horas” – sem sucesso.

Mais do que a dívida, pagar para a comissão técnica e não para os atletas irritou ao técnico Jorge Sampaoli. Por isso, o argentino devolveu o seu salário – como antecipado pela Gazeta Esportiva.

“Somos parte de uma família, de uma equipe de trabalho. Comissão técnica, jogadores, todos… Não vejo lógica em receber o salário enquanto os outros não recebem. Eu faria o mesmo se o cozinheiro não estivesse recebendo. Não é justo. Tem que ser igual para todos. Se o clube tem algum problema, eu entendo. Mas o que não entendo é um receber e outro não. Espero que até semana que vem todos recebam”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

O capitão Victor Ferraz voltou a minimizar o ocorrido.

“Ainda não pagaram, mas eu não quero entrar nesse mérito. É o que menos importa nesse momento”, afirmou.

O Santos não dá novo prazo, mas planeja pagar no começo da próxima semana. Além de poucos recursos à disposição, o Peixe tem contas bloqueadas na Justiça.

Da Gazeta Esportiva