Governo entrega reforma de escola em tempo integral que zerou índice de evasão

EE Professor Severino Ramos de Queiroz foi uma das que tiveram as obras de reforma inauguradas nesta segunda-feira – Foto: Chico Ribeiro

Os números de educação da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul têm evoluído com o passar dos anos e as escolas em tempo integral, chamadas de escolas de Autoria, têm ganhado destaque nesse cenário. Nesta segunda-feira (18.6), as obras de reforma e ampliação de três dessas escolas foram inauguradas pelo governador Reinaldo Azambuja. Entre as unidades reformadas está a EE Amélio de Carvalho Baís, no bairro Coophatrabalho, em Campo Grande, que conseguiu zerar os índices de abandono escolar.

“Nossa escola é de 1985. Em 2009 ela passou por obras de adequação e agora, com o governador Reinaldo Azambuja, conseguimos uma reforma geral – sem atrapalhar as aulas. Temos muito o que comemorar. Zeramos nosso índice de evasão e há muitos anos nosso índice de reprovação é menor que 5%”, disse o diretor Paulo Antônio Castaldeli. A escola dirigida por ele ainda tem uma das melhores notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em Mato Grosso do Sul.

A reforma geral da Amélio de Carvalho Baís, com adequação de acessibilidade, teve custo de pouco mais de R$ 1 milhão – recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) -, beneficiando 440 estudantes de ensino médio de Tempo Integral, além de professores, coordenadores e profissionais do setor administrativo.

Universidades

Nas três inaugurações, o governador Reinaldo Azambuja destacou a qualidade do ensino ofertado nas escolas em Tempo Integral. “É um avanço para os alunos, que chegam mais preparados no mercado de trabalho e nas universidades”, afirmou. Segundo ele, em Mato Grosso do Sul são 35 escolas em Tempo Integral. “E queremos multiplicar para outras unidades do Estado”, observou.

A EE Professor Severino Ramos de Queiroz também foi uma das que tiveram as obras de reforma inauguradas nesta segunda-feira (18.6). Conforme o diretor, Júlio César Gonçalves da Silva, depois que a modalidade de ensino integral passou a ser ofertada pela unidade 80% dos alunos conseguiram entrar nas universidades, a maioria delas públicas.

“Houve uma melhora significativa na qualidade do ensino depois de implantado o período integral. Agora, com a reforma a comunidades escolar é beneficiada novamente”, disse o gestor. Entre as melhoras apontadas por ele estão a cobertura da quadra de esporte e a construção da biblioteca e da sala de informática. Ao todo, o prédio da escola recebeu R$ 1,4 milhão de investimentos.

Aluna do primeiro ano do ensino médio, Jéssica Cristina Hilário da Silva, 15 anos, comemorou a reforma da escola. “Dá um estímulo para estudar, uma vontade maior. Está tudo organizado e bonito”, falou. “A escola está linda e adequada. Depois de muitos anos se falando a obra aconteceu”, disse a aposentada Edy Reis Bonzini, 67 anos, mãe de outra aluna da unidade de ensino.