Elias Ishy alerta para situação da Segurança Pública em MS

Para dialogar sobre o tema, está em construção de uma Audiência Pública em Dourados

Elias Ishy observou que Dourados tem um grande índice de violência – Foto: Thiago Morais

Dados do Atlas da Violência divulgados, recentemente, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), mostram que, em 2017 no Brasil, foram registrados mais de 62 mil homicídios. Desses, 7.424 pessoas foram assassinadas em Mato Grosso do Sul. No Estado, Dourados lidera o ranking de violência, sendo a taxa de 31,6 a cada 100 mil habitantes, entre as cidades com maior índice populacional.

A situação da segurança pública é cada vez mais grave e os números mais alarmantes, segundo o vereador Elias Ishy (PT). A população passa por uma sensação de insegurança e, portanto, os governantes devem assumir compromissos com os municípios e dar respostas eficientes para a sociedade.

Para ele, que é presidente da Comissão de Direitos Humanos da Casa de Leis, uma importante finalidade neste campo é a prevenção. “Sabemos da necessidade de políticas públicas para a área e de aprofundarmos o debate com as instituições e a sociedade douradense”, afirmou. Isso tanto para a população em vulnerabilidade social quanto aos policiais.

Para dar continuidade no trabalho que vem desenvolvendo, o parlamentar recebeu na Câmara o professor doutor, Marcelo Campos, da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), para dialogar sobre o tema, bem como questões relacionadas ao assunto, para construção de uma Audiência Pública. Em âmbito local, a situação é marcada por ser fronteira e quanto aos jovens negros, aos indígenas e as mulheres.

Eles lembraram que MS é o estado com a maior taxa de estupro e violência contra mulher do país, segundo o Anuário Brasileiro de Segurança. No mesmo caminho estão os povos originários. O relatório de “Violência contra os Povos Indígenas no Brasil – Dados de 2016” apontou que foram 45 casos de violência no ano, o maior entre as unidades da federação.