Temporal mata 7 e deixa desaparecidos na Grande São Paulo

Ônibus ilhado em meio a alagamento em SP — Foto: Reprodução/TV Globo

A forte chuva que começou na noite de domingo (10) e se estende pela segunda (11) provocou alagamentos em diversas regiões da Grande São Paulo e bloqueou vias de acesso para a capital paulista. A previsão é de mais chuva durante o dia. Sete pessoas morreram.

Veja o que está acontecendo

  • Rodízio de veículos está suspenso (carros com placas final 1 ou 2 podem circular normalmente)
  • Zona Azul suspensa na capital
  • Zona de Máxima Restrição à Circulação de Caminhões (ZMRC) e a Zona de Máxima Restrição aos Fretados (ZMRF) também foram liberadas
  • Desabamento deixou 4 mortos e 2 feridos em Ribeirão Pires
  • Outros três morreram afogados: dois na Avenida dos Estados e um no bairro Taboão, em São Bernardo do Campo
  • Na Zona Leste, uma criança ficou ferida em estado grave
  • Linha 10-Turquesa (Brás-Rio Grande da Serra) está fechada
  • Marginal Tietê tem alagamentos e está com alerta para transbordamento
  • Via Anchieta tem interdição na altura da antiga Uniban
  • Avenida do Estado tem vários pontos de alagamento
  • Córrego da Mooca e Rio Tamanduateí transbordaram
  • Chuvas devem persistir durante o dia

Os lugares mais afetados são os bairros de Vila Prudente e Ipiranga, e as cidades do ABC. Os bombeiros contabilizam, entre 0h e 6h, 601 ocorrências de enchentes, 34 quedas de árvore, 54 ocorrências de desabamento e 3 deslizamentos graves.

Sete pessoas morreram. Em Ribeirão Pires, no ABC Paulista, o desabamento de uma casa deixou quatro mortos e dois feridos, segundo a Prefeitura da cidade.

Outras duas pessoas morreram na Avenida dos Estados. Outra pessoa morreu no bairro Taboão, em São Bernardo do Campo, no ABC, segundo o porta-voz dos bombeiros, capitão Marcos Palumbo.

No Jardim Zaíra, em Mauá, três casas desabaram após um deslizamento de terra. Ninguém se feriu. O mesmo bairro registrou a morte de 4 crianças em fevereiro após outro deslizamento.

Em São Rafael, Zona Leste da capital, um deslizamento de terra atingiu uma casa. A mãe e duas crianças ficaram feridas – uma delas em estado grave. Em Embu, na Grande São Paulo, o desabamento de uma casa deixou 3 feridos graves.

No bairro do Sacomã, no sudeste da capital, carros foram levados pela força da água e outros veículos ficaram ilhados pela enchente forçando seus ocupantes a ficarem no teto dos veículos.

O Centro de Gerenciamento de Emergências da Prefeitura de São Paulo (CGE) informou que há diversos pontos intransitáveis na cidade. A circulação de trens na Linha 10-Turquesa da CPTM está interrompida, sem previsão de normalização.

A região do Ipiranga também seguia em estado de alerta às 8h por conta do transbordamento do Rio Tamanduateí, na região do piscinão Guamiranga. O piscinão foi inaugurado em fevereiro de 2017.

A Prefeitura de São Paulo anunciou a suspensão do rodízio e da Zona Máxima de Restrição de Circulação, e liberação da circulação de fretados e da Zona Azul.

Resgates

Bombeiros resgataram moradores ilhados com botes e o helicóptero Águia. Uma família foi retirada de sua casa. Um dos moradores levava um gato nas mãos.

Diversas famílias foram içadas pelo cesto de resgate e levadas dos telhados de suas casas para um local seguro no ABC.

Um voluntário usou uma motoaquática para ajudar resgatar moradores ilhados na região do Ipiranga, na Zona Sul.

Com os carros completamente debaixo d’água e passageiros sobre os veículos, o motoboy Rafael de Almeida decidiu ajudar no resgate após receber um telefonema de um amigo.

“Comecei a salvar uma pessoa, duas, quando vi já tinha socorrido umas 20 pessoas eu e meus amigos”, conta.

Do G1