Profissional de Educação Física fala sobre os cuidados necessários ao fazer exercícios em casa

Exercitar-se de maneira correta contribui para a saúde e afasta os riscos de lesões

Com a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para o isolamento social, em decorrência da pandemia de Covid-19, muitas pessoas tiveram de adaptar as suas atividades para desenvolvê-las em casa. Dentre elas, a rotina de atividade física. No entanto, ao praticar exercícios sem a supervisão dos profissionais das academias e centros de saúde, é preciso ter cautela para não cometer erros. O coordenador de Educação Física da Cassems, Nakal Laurenço, fala sobre o assunto.

Na Internet, é possível encontrar diversos treinos prontos para realizar em casa. No entanto, essa não é a melhor alternativa para a prática correta de exercícios pois, para iniciar uma rotina, é necessário consultar um especialista da área, que faça recomendações personalizadas para cada caso. De acordo com Nakal, cada indivíduo apresenta respostas diferentes quando sofrem o mesmo estímulo. “Mesmo que desenvolvido em casa, é recomendado que os programas de treinos sejam receitados por profissionais da Educação Física. Desta forma, a pessoa terá maior desenvolvimento e menos riscos de acidentes”.

O coordenador salienta a importância, também, de uma boa alimentação e hidratação para a prática de exercícios. “É fundamental manter-se bem alimentado e hidratado para realizar a rotina de atividades físicas. Se possível, realizar acompanhamento nutricional e, antes do treino, ingerir alimentos de absorção rápida para a produção de energia”.

Na expectativa de obter grandes mudanças em um curto espaço de tempo, algumas pessoas exageram no volume e na intensidade dos exercícios. O excesso pode gerar lesões e até mesmo prejudicar o desenvolvimento do corpo durante a prática. Nakal explica que a orientação de profissionais é ideal para evitar riscos para a própria saúde. “Devemos conhecer os limites do nosso corpo e não exagerar nos treinos. A rotina de práticas deve evoluir gradativamente, respeitando o biotipo e patologias de cada um. Devemos ficar atentos, nem sempre um exercício é aconselhável a se fazer”.