Dados levantados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) mostram que o Brasil será capaz de suprir as necessidades básicas de consumo da população. Com uma safra de grãos estimada em 251,9 milhões de toneladas, de acordo com o último levantamento divulgado pela estatal, as principais culturas consumidas no país (soja, milho trigo, arroz e feijão) respondem por cerca de 97% da colheita e superam em mais de 100 milhões de toneladas o volume do consumo interno destes grãos no ano passado.

Diante da situação de enfrentamento ao novo coronavírus, o Governo Federal acionou a Conab para atuar junto aos ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), da Economia, da Cidadania e outros, além da Casa Civil, para atender às possíveis demandas de alimento em todo o país.

Além da produção agrícola, a Conab levanta também informações de comercialização nas principais Centrais de Abastecimentos (Ceasas) para auxiliar no planejamento de ações que garantam a manutenção da oferta de frutas e hortaliças em todo o território nacional. O trabalho envolve o acompanhamento do fluxo de compras, preços e produtos ofertados.

Abastecimento Social – Entres as medidas adotadas para manter o atendimento a pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional, executadas pela Conab, está a prorrogação dos projetos do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) que venceram a partir de dezembro e possuem saldo, até os que irão vencer em junho. Com isso, os agricultores familiares beneficiados terão mais tempo para entregar cerca de R$ 5,8 milhões em alimentos em 167 organizações de todo país, beneficiando mais de 700 pequenos produtores e milhares de pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional que receberão esses produtos. Já os demais projetos aprovados seguem em operação, com as entregas previstas nas propostas.

A Companhia estuda também a possibilidade de ampliar sua atuação por meio da Ação de Distribuição de Alimentos (ADA). As entregas regulares de cestas básicas atualmente são realizadas a grupos populacionais específicos, como povos e comunidades tradicionais de indígenas e quilombolas. Outra ferramenta de apoio é o Programa de Vendas em Balcão (ProVB), no qual o pequeno criador de animais e micro agroindústria têm acesso aos estoques públicos de milho para uso na ração. Para esse, a Conab planeja o atendimento em novas praças, caso seja necessário para manter a produção de proteína animal e garantir o abastecimento da população.

Estoques – Em relação aos estoques, a grande reserva brasileira de grãos é garantida pela rede de armazenagem privada e pela logística interna e externa. “Quem olha o volume dos estoques públicos, está vendo uma parte muito pequena do que o país produz e do que o governo faz de ações para garantia do preço mínimo pelos instrumentos de política agrícola e da logística de abastecimento por meio dos programas sociais”, explica o presidente da Conab, Guilherme Bastos.

Segundo Bastos, a Conab possui dentro da sua rede de armazenagem 59 estruturas utilizadas como base para a montagem e distribuição de cestas. Para um programa mais extenso, poderá ser montado um esquema de parcerias.

Orteco