Precisamos voltar ao verdadeiro amor

  • Por Rosa Floriano

Se você está sem forças e cansado de escrever sua própria história, chegou a hora de reverter esse quadro. Normalmente e quase sempre escrevo sobre meio ambiente. Mas qual o real motivo de se preservar? Porque precisamos de ar puro, vegetação? Resposta simples. Para viver melhor. E o que temos visto, neste mês de distanciamento social aonde conversamos com tantas pessoas, via internet e telefone sobre os rumos do nosso país, é justamente o desânimo e o destempero. A quantidade de pessoas desassistidas pelo poder público é grande, mesmo com o auxílio emergencial de R$600,00 e a quantidade de pessoas que tem desistido de si mesmas também é alarmante. Não estou tratando de casos particulares graves como a catatonia, depressões graves como distimia, esquizofrenia refrataria, mas das tristezas simples da vida, o desemprego, o coronavírus, a ausência de um grande amor, coisas que cada um de nós sabe a diferença que faz em nossas vidas.

Rosa Floriano é colunista do AGORAMS, na área Ambiental – Divulgação

Além disso, segundo uma pesquisa recente da OMS (Organização Mundial da Saúde), no Brasil, a cada 100 mil pessoas, quase sete tiraram a própria vida no ano passado. Além disso, para cada suicídio podem ter ocorrido mais de 20 outras tentativas que não deram certo. A vergonha, o desconhecimento e o desinteresse das vítimas e de seus familiares e amigos em tratar o problema são catalisadores que precisam ser combatidos.  O problema de saúde pública que estamos encarando agora é causado, principalmente, pelo desconhecimento das pessoas sobre as causas e comportamento do coronavírus e os tratamentos para evitar que ele aconteça. Entretanto quero ressaltar que agora que o isolamento está afrouxando voltaram os acidentes de trânsito, voltaram os feminicídios, as mortes por dengue continuam e os demais problemas e doenças que cada um conhece em algum membro da família. Por outro lado, muitas vezes, familiares e amigos não reconhecem os sinais de que alguém querido vai tirar a própria vida. Aliás, muitas vezes, a própria vítima não entende que precisa de ajuda e acaba se afundando cada vez mais em uma solidão desesperadora.

Infelizmente o mundo tem caminhado para o individualismo, irmã bloqueia irmã no whattsapp, filha não quer ouvir orientação da mãe, mas nós que somos esclarecidas e seguras do que queremos temos de fazer a diferença na vida de outras pessoas, de buscar outro nível, buscar soluções, aguentar os problemas da vida. Aliás, se existe algo tão difícil quanto viver ainda não percebi. Viver depende de nossas empatias, nossas resistências e do nosso conhecimento tanto que recebemos em casa como através do conhecimento formal. Mas a solução existe: o amor e a fé. Tenha um amor e se conhecem por exemplo há dez anos, não se afaste dele, tenha fé e não esmoreça, não deixe aventuras de momentos apagar um grande amor. Assim nessa união, poderá crescer interiormente e aos poucos também ajudar ao próximo. Precisamos tentar, sei que não é fácil, mas não deixe o amor da sua vida ir embora, pede desculpas, vai atrás, valorize a pessoa amada, assim como seus pais que tanto lutaram, pra te dar estudo e alimentação. Depois de tudo isso feito, um futuro grandioso nos espera. Não deixe o tempo, nem a oportunidade passar!