Peça que une literatura e teatro documentário já está em cartaz na Capital

Tragédias BR traz o drama e o trágico nacional, e demonstra como a sociedade atual ainda reflete o cotidiano das décadas passadas

Tragédias BR está sendo exibido na sede do Grupo Casa – Foto: Karol Resquim

Na noite desta quarta-feira, o Grupo casa estreou seu novo espetáculo “Tragédias BR”. Com um texto baseado em três grandes obras modernas da literatura dramática brasileira, o palco foi tomado por atores vestidos “à la black tie”, interpretando personagens carregados das vivências cotidianas. Conflitos familiares, românticos, políticos e religiosos fundamentam o enredo, que tem um fundo trágico, informativo e até sarcástico.

As obras “Eles Não Usam Black Tie” de Guaniere (1958), “O Beijo no Asfalto”, de Nelson Rodrigues (1960) e “O Pagador de Promessas”, de Dias Gomes (1960) baseiam “Tragédias BR”, e trazem um clima muito brasileiro e atual à montagem.

O cenário, os figurinos e a trilha sonora, pensados com muito cuidado, complementam a ‘realidade’ da peça. Com uma luz dramática e um palco que trabalha a profundidade em dois planos, o público pode se concentrar na cena, e ainda apreciar interpretações ao som de músicas que embalam as histórias: um pai apaixonado pelo marido da filha, um operário que se nega a aderir a uma greve e é escorraçado pela comunidade e um homem que fez uma promessa religiosa e é impedido de cumpri-la.

As montagens do Grupo Casa estão sempre em evolução e, quem vê a estreia, pode aguardar aprimoramento até a última apresentação. Para o cenógrafo Bruno Atra, ainda há o que pode ser melhorado. “Há todo o processo de figurino, dança, um texto complexo… a estreia foi muito boa, ainda podemos complementar mais o primeiro plano do cenário”, diz.

Para o acadêmico de direito Leandro Félix, que acompanhou a estreia, a estética do ambiente e os temas da montagem são muito interessantes. “Eu já conhecia o Grupo Casa, mas é a primeira vez que venho prestigiar uma apresentação. O ambiente é acolhedor, realmente um ponto de cultura. O formato do palco é bem diferente, trabalha a profundidade e o texto também é muito legal, as referências a fake News, ao preconceito e ao discurso de ódio, infelizmente tão comuns hoje em dia, denotam à atualidade”, diz.

O estudante de jornalismo Bruno Samaniego gostou da forma de composição do enredo, chamado de “Plágio Combinação” pelo diretor da peça, Fernando Lopes Lima. “Eu acredito que a junção dos três textos funcionou muito bem, são obras importantes e que combinaram, permanecem atuais e realistas, muito semelhantes com situações que poderiam facilmente acontecer hoje em dia”, afirma.

Serviço –Tragédias BR fica em cartaz nos dias 10, 11, 12, 15, 16, 17, 18, 19. As sessões acontecem duas vezes por dia, às 19h e às 21h30, na sede do Grupo Casa, que fica na Travessa Nelson Tabelião Pereira Seba, 8. A entrada custa R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia). O teatro tem capacidade para 25 lugares. A peça tem o apoio do Fomteatro (Programa Municipal de Fomento ao Teatro), da Prefeitura Municipal de Campo Grande.