Francisco está em viagem oficial à Tailândia – Foto: Ansa

O papa Francisco fez um apelo contra a escravidão e a manipulação cultural dos jovens, ao discursar nesta sexta-feira (22) na Tailândia.

Em uma conferência religiosa em Bangcoc, o argentino Jorge Mario Bergoglio disse que existe “uma tendência crescente de desacreditar os valores e as culturas locais para a imposição de um modelo único”.

“Assistimos a uma ‘homogeneização’ dos jovens, a uma tentativa de dissolver as próprias diferenças dos locais de origem e a transformá-los em sujeitos manipulados produzidos em série”, criticou. “Assim, produz-se uma destruição cultural que é tão grave quanto a extinção das espécies animais e vegetais”.

Em outro compromisso, na Universidade de Chulalongkorn, também na capital tailandesa, o Papa focou seu discurso no combate à escravidão.

“É preciso colocar fim a tantos tipos de escravidão que persistem nos dias atuais. Penso principalmente no flagelo do tráfico humano”, destacou.

Francisco cumpriu nesta sexta-feira (22) o seu segundo dia de agenda na Tailândia. O líder católico está em uma viagem oficial de uma semana pela Ásia, que será concluída no Japão.

Pela manhã, ele também visitou o santuário do beato Nicholas Bunkerd Kitbamrung, considerado o primeiro mártir da Tailândia, no vilarejo católico de Wat Roman em Tha Kham.

No local, Bergoglio se reuniu com sacerdotes, seminaristas e bispos, e falou sobre desigualdade econômica e social.

“Desejo apoiar e encorajar tantos de vocês que, diariamente, gastam a própria vida servindo Jesus através dos seus irmãos, e a tantos de vocês que veem beleza onde outros veem somente desprezo, abandono e um objeto sexual para explorar”, afirmou o Papa.

“Vocês vivem em um continente multicultural e religioso, dotado de grande beleza e prosperidade, mas provado pela pobreza e pela exploração em vários níveis”, disse Francisco.

“Os rápidos progressos tecnológicos podem abrir imensas possibilidades para facilitar a vida, mas também dão espaço para um crescente consumismo e materialismo, especialmente entre os jovens”, destacou.

A agenda de Francisco foi encerrada com uma missa em Bangcoc que reuniu cerca de 10 mil pessoas, de acordo com as autoridades locais. (Da AnsaFlash)