* Por Gilclér Regina

Muito se fala em aposentadoria com “x” anos e tudo o mais. Mas se não tiver empresa, vai se aposentar por onde? E se for funcionário público é diferenciado da população.

Pois é, o Brasil tem 3% da mão-de-obra do planeta e 80% das reclamações trabalhistas do mundo. Uma legislação atrasada de 1943. Essa reforma que está vindo aí não é nem um pingo no oceano do que deveria vir.

E alguns poderosos continuarão recebendo aposentadoria de 300 mil, 200 mil e o povo, a grande maioria, recebendo um salário mínimo e os funcionários públicos em média 10 salários mínimos, ou seja, o povo, como diria o Chico Anísio “Ó” mostrando o polegar e o indicador se aproximando para um tamanho bem pequeno. E as empresas decentes pagadoras de impostos “Ó”.

Esta reforma não atinge a CLT e sim as elites, porque o dia que se colocar 65 anos como idade para aposentadoria, esse pessoal da esfera pública que se aposenta com 50 anos não voltarão a trabalhar para conseguir aposentadorias milionárias e isso reduzirá drasticamente o custo Brasil. Não me refiro aqui a quem já tem seu direito adquirido.

Neste caso, o Município, o Estado e a União ficarão 10 anos sem aposentar ninguém e teremos mais dinheiro para escolas e hospitais.

Não à toa, algumas empresas estão se mudando para o Paraguai. Não existe riqueza sem empresa. Não existe aposentadoria sem empresa.

Meteram tanto a mão na Petrobrás, que ela era uma das empresas mais valiosas do mundo, algo em torno de 400 bilhões de dólares, mais de 1 trilhão de reais. Hoje vale 8 (oito) vezes menos, 50 bilhões de dólares.

Querem quebrar o Brasil e fazer aqui a República da Venezuela. ACORDA BRASIL.

· Gilclér Regina é Escritor e Palestrante Profissional

Uma pessoa simples que se transformou num dos mais reconhecidos Conferencistas do país, com atuações também no exterior.

(PALESTRAS): www.gilclerregina.com.br/contato

Sanesul_Dia Mundial da Água