As 53 voltas do circuito de Monza, no Grande Prêmio da Itália, foram de tensão e torcida na manhã deste domingo – e os italianos puderam soltar o grito entalado na garganta há nove anos! O monegasco Charles Leclerc, da Ferrari, confirmou o favoritismo após pole position no último sábado e foi o grande campeão do circuito, seguido de Valtteri Bottas e Lewis Hamilton, ambos da Mercedes. A volta mais rápida foi do britânico, com 1m21s779.

Foi disputa do começo ao fim, primeiro entre Leclerc e Hamilton, depois entre o piloto da Ferrari e Bottas – o britânico errou a dez voltas do fim e acabou caindo para terceiro. Em quarto e quinto os dois pilotos da Renault, Ricciardo e Hulkenberg, respectivamente, seguidos de Albon, da Red Bull Racing, Perez, da Racing Point, Verstappen, da RBR, Giovinazzi, da Alfa Romeu, e Norris, da McLaren, que fechou os dez primeiros. Vettel, que largou em quarto, acabou apenas na 13ª posição.

A Ferrari quebrou um incômodo jejum dentro de casa. O último vencedor do GP da Itália havia sido Fernando Alonso, em 2010, e, desde então, apenas RBR, McLaren e Mercedes haviam vencido por ali. Além disso, Charles Leclerc também acaba confirmando ser uma das esperanças da escuderia italiana: na Bélgica, na semana passada, foi pole e ganhou a primeira corrida da carreira. Neste domingo, ele conquistou a segunda pole seguida (quarta da temporada) e segunda vitória.

A corrida – Sofrendo pressão dos dois pilotos da Mercedes, em segundo e terceiro lugares, o jovem monegasco conseguiu realizar uma boa largada, sem modificações entre os primeiros colocados. Do lado oposto, lá na última colocação do grid, Verstappen teve um problema e precisou parar para trocar a asa dianteira.

Com muito azar nos últimos tempos, Vettel rodou sozinho na pista e acabou atingindo Lance Stroll, da Racing Point. Com isso, caiu para a última colocação na sétima volta e recebeu uma punição (um stop and go por retorno perigoso à pista).

Quase no meio da prova, após parada nos boxes para troca de pneus, Leclerc e Hamilton protagonizaram mais uma cena de verdadeiro rali, com o monegasco segurando a ponta – ele acabou advertido com a bandeira preta e branca, como se fosse um “cartão amarelo”. Passando da metade, Sainz e Kvyat abandonaram a corrida.

Na volta 37, Leclerc cometeu um erro e acabou perdendo o controle, saindo e voltando da pista, mas não passou por investigação e continuou na primeira posição, com Hamilton na cola. Faltando dez voltas para acabar, o britânico errou, passou reto e foi ultrapassado por Bottas – para o delírio da torcida italiana. Então, foi apenas seguir com o plano e vencer a prova depois de nove anos de jejum da Ferrari.

Da Gazeta Esportiva