Todos os exames pré-cirúrgicos serão realizados no próprio Hospital para agilizar o processo, a meta é zerar a fila de eletivas em 2019

Sala Cirúrgica do Hospital Regional de Ponta Porã – Divulgação

Foi implantada no Hospital Regional Dr. José de Simone Netto um novo processo para agilizar a realização de cirurgias eletivas e reduzir o tempo de espera dos pacientes. Com a nova medida, será possível realizar a cirurgia em até um mês a partir da data da primeira consulta de encaminhamento. Para reduzir o tempo, que antes demorava meses, houve uma mudança em algumas etapas do processo: agora todos os exames pré-cirúrgicos, que eram realizados em outras unidades, serão realizados no Hospital Regional de Ponta Porã para acelerar o andamento das eletivas.

“O Hospital disponibiliza a agenda do centro cirúrgico, e através desse sistema cada município pode acessar e agendar o dia e o horário para a cirurgia. A microrregião e o município encaminham os pacientes, que foram agendados por eles mesmos. O paciente vem com o encaminhamento para fazer uma consulta pré-operatória, e na consulta o médico irá solicitar os exames pré-operatórios, que serão agendados e realizados no próprio Hospital. Se forem exames que puderem ser realizados no mesmo dia e não necessitem de preparação prévia, já serão realizados no mesmo dia aqui no Hospital. Se for algum exame que necessite de preparo, como ultrassonografia ou exames de sangue, aí agendamos para outro dia. Após o retorno com os exames já realizados, o médico avalia e encaminha o laudo para autorização e também já é marcada a cirurgia, de acordo com a disponibilidade de agenda do centro cirúrgico”, explicou a assistente administrativa responsável pelas cirurgias eletivas, Flávia Elis Manvailer Martins.

No Hospital Regional de Ponta Porã são realizadas em média 35 cirurgias eletivas por mês, de hérnia, vesícula e cirurgias ginecológicas.  Os exames pré-operatórios oferecidos na unidade são os de: Raios-X, exames de sangue e eletrocardiograma.

A agente administrativa Maria Fernandes, 58 anos, sofria com problemas na vesícula há alguns meses e então decidiu procurar ajuda para poder operar. Com a nova medida, conseguiu realizar a cirurgia em menos de um mês.

“Me surpreendi com a rapidez do processo preparatório para a cirurgia. Sofria com dores na vesícula há algum tempo, vinha tomar soro quando as crises eram mais fortes, mas não era uma solução definitiva. Na última crise, as dores foram tão fortes que o médico me encaminhou para a cirurgia. Achei que seria um processo demorado, foi aí que me surpreendi com a rapidez, operei em menos de um mês”, disse.

Maria Fernandes contou como foi o processo desde o encaminhamento até a retirada dos pontos, e elogiou o atendimento que recebeu da equipe do Hospital Regional de Ponta Porã. “Levei o encaminhamento na consulta que eles agendaram para mim, o médico viu o encaminhamento e me agendaram os exames. Realizei todos os exames pré-cirúrgicos em apenas uma tarde e na outra semana fui ao retorno, que já estava agendado na última consulta, com todos os exames prontos. Fiz exames cardíacos, de sangue, raio-x e outros. No retorno o médico avaliou os exames e já marcaram a minha cirurgia. Internei e no mesmo dia já fizeram a cirurgia e tive alta no dia seguinte. Retornei ao Hospital na semana seguinte para o médico verificar como estavam os pontos. Fui muito bem recebida por todos da equipe, o leito estava limpo, a alimentação era boa e todos muito atenciosos, gostaria de parabenizar a todos pelo excelente atendimento”, disse.

“Com o novo fluxo, se tudo correr bem com o paciente e ele comparecer certinho para realizar os exames e retornos, esse processo, que antes demorava meses, agora levará em torno de um mês. Mas caso tenha a necessidade de risco cirúrgico e mais exames complexos, esse tempo pode variar de acordo com a necessidade de cada paciente. Também estamos com a agenda disponível para realizar mais laqueaduras, porque estamos sem demanda. Também estamos planejando iniciar este ano as cirurgias ortopédicas eletivas”, finalizou a assistente Flávia Martins.