Jovem havia furtado 13 cabeças de gado – Divulgação/Polícia Civil

Um estudante de 22 anos, filho de um fazendeiro, foi preso por furtar 13 cabeças de gado de uma propriedade rural para, segundo depoimento, pagar o tratamento do pai, que estava com dengue hemorrágica internado em um hospital de Campo Grande. O crime foi no último 19, em Camapuã, região norte do estado, e divulgado nesta terça-feira (29). As informações são do G1/MS.

De acordo com a polícia, o jovem disse que o setor do hospital onde o pai estava internado estava em greve, e que uma clínica particular na capital cobrou R$20 mil para interná-lo. Ele teria tentado vender uma vaca leiteira de sua propriedade, sem sucesso. Alegando urgência, o rapaz disse que não viu opção a não ser furtar os animais do vizinho, que é dono de uma fazenda ao lado da propriedade da sua família. Pela venda dos animais, o suspeito recebeu mais de R$18 mil.

G1 entrou em contato com os dois hospitais públicos em Campo Grande: Regional (HR) e Universitário (HU), além da Santa Casa. Todos informaram que no dia 19 até nesta terça-feira (29), não houve nenhuma greve dentro das instituições e também nenhuma paralisação de funcionários que prestam serviços aos hospitais.

De acordo com a polícia, no mesmo dia do furto, na parte da manhã, o jovem recolheu os animais com um caminhão, efetuou a venda, e no final da tarde, o comprador foi buscar o gado que já estava na propriedade do suspeito.

Segundo a ocorrência, o crime só foi descoberto porque um genro da vítima parou o caminhão do comprador, que já estava transportando o gado, em uma estrada perto da fazenda do dono. Ele pediu para ver os animais e reconheceu a marca da fazenda de seu sogro no gado, informando que estes pertenciam à sua família.

Ainda em depoimento, o genro da vítima contou que o comprador disse que teria adquirido os animais do suspeito, que alegou precisar com urgência do dinheiro, e que depois passaria as notas referente às compras.

Segundo a polícia, das 13 cabeças de gado furtadas, 11 estavam com crias e foram vendidas por R$ 1.500. As outras duas, por R$ 1.200, o que totalizou a compra dos animais no valor de R$ 18.900.

O homem foi preso em flagrante. Após a realização da audiência de custódia, a Justiça concedeu liberdade provisória ao jovem. Ainda de acordo com a polícia, ele vai responder pelo crime de abigeato (furto de animais) com pena que pode chegar a até 5 anos de reclusão.