Sondagem feita pelo IPF – Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio MS aponta que 53% dos consumidores que estão recebendo o FGTS das contas inativas ainda não decidiram como vão aplicar esse dinheiro extra. Outros 25% vão pagar contas e 23% pretendem fazer novas compras. O levantamento foi feito em 10 municípios do Estado entre os dias 29 de maio e 9 de junho. Assim sendo, haverá um resgate em dívidas de R$ 147,18 milhões e uma movimentação no comércio de R$ 113,45 milhões. “Os dados reforçam um cenário favorável de resgate do poder econômico das famílias, já que as respostas sugerem que – entre as que vão pagar contas – afirmam que vão quitar dívidas relacionadas à prestação da casa própria”, explica a economista do IPF MS, Daniela Dias. “Também vislumbramos uma reação nas vendas de produtos do segmento da construção, já que – entre as que pretendem fazer novas aquisições – muitas afirmam que vão investir em reformas, consertos, equipamentos de construção.”

A economista lembra que, de acordo com a última divulgação da CNC o endividamento já reduziu praticamente 6 pontos percentuais. “São mais de 10 mil pessoas somente de Campo Grande que quitaram as contas em atraso e, aproximadamente, 5 mil deixaram de fazer parte da lista de inadimplentes. São os primeiros reflexos positivos do FGTS”, explica.

Em Mato Grosso do Sul são previstos R$ 564 milhões em resgate das contas inativas do FGTS e, segundo a Caixa Econômica Federal já foram liberados 26% do total. Os municípios pesquisados foram Aparecida do Taboado, Aquidauana, Anastácio, Campo Grande, Chapadão do Sul, Corumbá, Ladário, Nova Andradina, Três Lagoas, Dourados e Ponta Porã.

“Acreditamos que as próximas datas comemorativas terão um dinamismo diferenciado diante do recebimento do FGTS e que o segundo semestre tende a ser mais positivo para a economia do Estado”, pondera Daniela.

Distribuição por município do percentual de pesquisados que tenderão a quitar dívidas, realizar compras e que não terão pretensões de utilizar o recurso do FGTS de contas inativas.

Municípios Pagamento de dívidas Compras Sem pretensões de utilizar
Campo Grande 22,81% 26,32% 50,88%
Dourados 24,00% 14,00% 62,00%
Aparecida do Taboado 23,33% 20,00% 56,67%
Ponta Porã 25,00% 25,00% 50,00%
MS 24,79% 22,65% 53,00%

Obs.: Esses foram os municípios que detiveram informações mais robustas.