Daniela Hall alerta para a falta de efetivo e estrutura na Defesa Civil

Presidente da Câmara Municipal de Dourados aponta a necessidade da Prefeitura de Dourados melhorar as condições de trabalho do órgão que é fundamental no socorro às pessoas em caso de desastres e sugere abertura de concurso público nas áreas técnicas necessárias

Os problemas foram diagnosticados em visita ao órgão e conversa direta com servidores e voluntários – Foto: Thiago Morais

A vereadora Daniela Hall (PSD), presidente da Câmara Municipal de Dourados, apurou nesta terça-feira, a necessidade de um maior efetivo e melhorias na estrutura da Defesa Civil na segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul. Segundo ela, mesmo sendo referência no Estado, a Defesa Civil de Dourados está trabalhando de forma precária e necessita de melhor estrutura para proporcionar um pronto atendimento à população do município em caso de desastres naturais. Os problemas foram diagnosticados em visita ao órgão e conversa direta com servidores e voluntários.

Preparados não apenas para ajudar no resgate às vítimas e na recuperação de áreas atingidas por catástrofes, os agentes da Defesa Civil têm o dever de prevenir os desastres antes mesmo que eles aconteçam, sendo os responsáveis em coordenar equipes como o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar, durante uma tragédia. Mas em Dourados, a Defesa Civil conta com apenas três funcionários e necessita de mais recursos para desenvolver os trabalhos quando houver necessidade. “É inadmissível que um município com quase 218 mil habitantes tenha um órgão tão importante quanto a Defesa Civil composto por apenas três funcionários”, alerta Daniela Hall.

De acordo com o coordenador Ademir Martins, a defesa civil precisa de uma reestruturação em seu organograma. “Com todas as nossas dificuldades, em especial a falta de integração entre as secretarias municipais, temos conseguido fazer um bom trabalho. A defesa civil vem se empenhando para auxiliar a secretaria de serviços urbanos na retirada de árvores que caem durante as fortes chuvas que vem caindo em nossa cidade. O coordenador da defesa civil informou que a equipe não consegue atender os distritos e a área rural de Dourados, por falta de efetivo”.

Para a vereadora Daniela Hall, a falta de servidores aliada a falta de equipamentos de segurança e de trabalho acabam prejudicando o cidadão que deixam de contar com esse importante serviço público. “Eles necessitam desde capacetes até motosserra e motobomba. Com um veículo apenas, também não conseguem transportar nem os voluntários que são cadastrados caso haja uma enchente, por exemplo”, completa a presidente da Câmara de Vereadores.

Ela adianta que mobilizará esforços para cobrar do Executivo Municipal maior atenção com a Defesa Civil de Dourados. “Farei encaminhamentos ao gabinete da prefeita Délia Razuk (PR), solicitando as melhorias necessárias, pois, apesar da dificuldade financeira em que a administração municipal se encontra, a Defesa Civil é um órgão que necessita de melhor estrutura para agir não apenas em caso de acidentes naturais, mas, sobretudo, na prevenção”, disse a parlamentar.

Na Escola

Tentando construir uma cultura preventiva, o coordenador da Defesa Civil, Ademir Martins, que há 13 anos trabalha no órgão, apresentou um projeto a administração municipal, inserindo a instituição dentro das escolas. O projeto, infelizmente, não foi colocado em prática. Mas para a vereadora Daniela Hall, uma gestão trabalha preventivamente.

“Esse projeto muito me interessou e estarei buscando parcerias para colocá-lo em prática. Não temos essa cultura e, em casos de emergência, a população não sabe como agir. Em países como o Japão e a Inglaterra, por exemplo, a população aprende desde criança como lidar com o caos. Dourados necessita colocar esse projeto dentro das escolas”, enfatizou Daniela. (Da Assessoria).