Tomógrafo foi adquirido com recurso fruto de um acordo judicial – Foto: Micael Nunes

Foi inaugurado na última sexta-feira, em Bataguassu, o Centro Municipal de Diagnóstico por Imagem “Neuza Barbosa da Silva Mendonça”. Com a obra, o município passa a contar com a especialidade de tomografia computadorizada de forma gratuita a população.

O tomógrafo foi comprado com recurso fruto de um acordo judicial firmado entre o Ministério Público do Trabalho e a indústria Marfrig Alimentos que se comprometeu a pagar R$ 5 milhões em indenizações, entre 2014 e 2018, em decorrência do acidente no curtume ocorrido em janeiro de 2012, quando um vazamento de gás matou quatro trabalhadores e deixou 16 feridos.

O Juiz do Trabalho Antonio Arraes Avelino, Titular da Vara do Trabalho de Bataguassu e responsável pela destinação de R$ 1 milhão para aquisição do tomógrafo salientou que o Centro Municipal de Diagnóstico por Imagem é um sonho coletivo baseado na união de interesses e que deu certo devido às parcerias.

A Santa Casa de Bataguassu, único hospital do município, é uma entidade filantrópica e sem fins lucrativos. A unidade já recebeu quase R$ 2,5 milhões em recursos destinados pela Vara do Trabalho e é uma das instituições mais beneficiadas no município com verbas trabalhistas. Com o valor foram adquiridos equipamentos para montar uma lavanderia profissional e um refeitório, aparelhos de ressonância magnética e para a sala de estabilização, além da construção de novas alas para atendimento médico.

A unidade destinada ao diagnóstico por imagem, inaugurada na sexta-feira, é a 7ª do Estado a entrar em operação e atenderá além de Bataguassu pacientes de Santa Rita do Pardo, Anaurilândia e Brasilândia.

Estiveram presentes na cerimônia o prefeito de Bataguassu, Pedro Arlei Caravina; o secretário de Estado de Saúde, Carlos Alberto Coimbra; o Juiz da Vara do Trabalho de Bataguassu, Antonio Arraes Avelino; a secretária municipal de Saúde, Maria Angélica Benetasso; o vereador Dennis Thomazini, no ato, representando o presidente da Câmara de Vereadores, Márcio Carlos da Fonseca, além dos prefeitos de Brasilândia, Antônio de Padua e de Santa Rita do Pardo, Cacildo Dagno entre outras autoridades municipais.

Origem do dinheiro 
O Juiz do Trabalho Antônio Arraes explica porque a Santa Casa foi uma das instituições beneficiadas com o dinheiro da indenização. “A Ação Civil Pública vem com o objetivo de adequar a conduta do agente causador do dano, ela corrige essa conduta para evitar futuros acidentes. Mas, para reparar o dano já causado existe o dano moral coletivo, por isso destinamos esses recursos para a sociedade civil que foi afetada com o acidente. Nesse caso, revertemos o dinheiro às instituições e entidades públicas que prestaram os serviços e socorro às vítimas do acidente, como é o caso do Corpo de Bombeiros e da Santa Casa”.

Do TRT/MS