Colônia Paraguaia terá apoio do Governo para revitalização de sua sede em Campo Grande

Governador recebeu a Diretoria Executiva da Colônia Paraguaia nesta segunda-feira - Foto: Chico Ribeiro
Governador recebeu a Diretoria Executiva da Colônia Paraguaia nesta segunda-feira – Foto: Chico Ribeiro

Associação da Colônia Paraguaia tem 44 anos e sua história é anterior à fundação do Estado de Mato Grosso do Sul – que neste ano completa 40 anos da divisão.

Parte integrante da história sul-mato-grossense, a Colônia Paraguaia terá apoio do Governo do Estado para revitalização da sede situada no bairro Pioneiros, em Campo Grande. O espaço é referência da cultura paraguaia a mais de 400 mil descendentes de paraguaios que residem em MS e aberto a eventos da sociedade civil, como formaturas de alunos da rede pública de ensino.

O pedido de apoio foi feito pela diretoria da associação e atendido pelo governador Reinaldo Azambuja em encontro na Governadoria, nesta segunda-feira (14.8). Os recursos serão repassados por meio de convênio com a Secretaria de Estado de Cultura e Cidadania (SECC) conforme prioridades constantes no projeto de revitalização do espaço, que hoje possui cinco mil metros e há 16 anos não é reformado.

Durante o encontro – que contou com apresentação dos músicos Geraldo Ortiz e Paulo Martinez e declamação de poesia por Sônia Barbosa – o governador destacou a importância da associação para Mato Grosso do Sul. “A Colônia Paraguaia existia antes da divisão do Estado. Já faz parte da nossa cultura”, pontuou.

“Não se fala da história de Campo Grande e de Mato Grosso do Sul sem falar na Colônia Paraguaia”, completou o titular da SECC, Athayde Nery. Ele lembrou dos tantos elementos da cultura paraguaia que ajudaram a compor a cultura sul-mato-grossense, como o tereré, a chipa e a polca.

Presidente da associação, Albino Romero, agradeceu a parceria do governo e lembrou que o espaço é aberto a toda a sociedade e comporta até duas mil pessoas. A intenção é que após a reforma a associação possa receber mais visitantes, inclusive para apreciação de comidas típicas. “Vai ser um ponto turístico”, adiantou.

Estiveram também presentes na reunião desta manhã o secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, o deputado federal Geraldo Resende, além de toda a diretoria da Associação da Colônia Paraguaia.