Alunos do Senai do Estado embarcam para participar das seletivas da WorldSkills no MT e ES

Dyone Victorino e Stephanee Meiras embarcaram nesta sexta-feira para seletivas da WorldSkills – Divulgação

Dois alunos das unidades do Senai de Campo Grande e Três Lagoas embarcaram, nesta sexta-feira (27/08), para representar Mato Grosso do Sul nas seletivas da WorldSkills 2019, uma espécie de olimpíada mundial de profissões em Kazan (Rússia), que serão realizadas nas cidades de Várzea Grande (MT) e Vila Velha (ES) de 29 de julho a 3 de agosto.

Trata-se de Stephanee Meiras Silva de Melo, que faz o curso de multiprocesso de soldagem no Senai de Três Lagoas e disputará a seletiva da ocupação “Soldagem” no Mato Grosso, e Dyone Victorino Oliveira Vieira, que concluiu o curso de pedreiro de alvenaria na Escola Senai da Construção de Campo Grande e participará da seletivas da ocupação “Construção em Alvenaria” no Espírito Santo.

Para participar da bateria de provas, os dois alunos contaram com um extenso cronograma de treinamentos e, no caso de Stephanee Meiras Silva de Melo, os treinos permitiram que ela evoluísse nos processos de soldagem. “Adquiri várias técnicas e habilidades e pretendo representar Mato Grosso do Sul fortemente nas seletivas, de forma a conseguir entregar todas as provas dentro do tempo, colocando em prática tudo o que aprendi durante o curso e nesses meses de treino”, afirmou.

Com relação à competição, a aluna do Senai de Três Lagoas disse estar tranquila. “Vejo essa seletiva como uma grande oportunidade de conhecer outras pessoas, trocar experiências e treinar minhas habilidades sob a pressão de uma competição, com tempo cronometrado. Com certeza darei meu melhor para fazer uma boa prova e a colocação vai ser apenas consequência dos treinos e das técnicas adquiridas e de todas os aprendizados que consegui absorver”, completou.

Já o aluno Dyone Victorino Oliveira Vieira acredita que participar da seletivas da WorldSkills 2019 será uma experiência única e enriquecedora. “Estou aprendendo muitas coisas novas durante os treinos para poder executar uma boa prova e com certeza esse conhecimento será utilizado na minha carreira, já que meu sonho é fazer uma faculdade de engenharia. Estou muito feliz com a oportunidade e espero conseguir ser selecionado para o Mundial da Rússia”, ressaltou.

WordSkills

A WorldSkills, competição internacional que é realizada a cada dois anos em um país diferente, busca valorizar as profissões técnicas em escala global. Organizada pela WorldSkills International – entidade que trabalha, desde 1950, para o desenvolvimento e a excelência das ocupações técnicas -, o torneio reúne competidores de países e regiões das Américas, Europa, Ásia, África e Pacífico Sul.

Em 2017, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, a delegação do Brasil obteve o 2º lugar geral, enquanto a próxima edição será na cidade russa de Kazan, em 2019. A expectativa brasileira é estar entre os melhores times do mundo e, se possível, repetir o feito obtido em São Paulo (SP), em 2015, quando a equipe do Brasil foi a grande campeã.

Segundo a delegada técnica da Olimpíada do Conhecimento do Senai de Mato Grosso do Sul, Maise Giacomeli, o evento é um dos maiores do mundo em educação profissional e as seletivas da WorldSkills Kazan são uma oportunidade de representatividade do Estado. “Ter um representante que demonstre os conhecimentos teóricos e práticos e as habilidades intelectuais aprendidas durante o curso é muito importante para nós. Além disso, os desafios envolvem atividades essenciais para o exercício profissional, então já é uma forma de os alunos adquirirem experiência”, afirmou.

Seletivas

O formato das seletivas no Brasil permite que moradores de todos os Estados visitem os locais das provas e conheçam os cursos do Senai, as profissões da indústria e as oportunidades oferecidas pela educação profissional para trabalhadores e empresas. As provas vão ocorrer em 35 cidades de todos os Estados e Distrito Federal.

Neste ano, as provas têm como novidade o mesmo formato do torneio mundial. Os competidores passarão, durante quatro dias, pelas mesmas horas que serão exigidas em cada desafio na Rússia e materiais muito semelhantes aos que serão utilizados de fato no mundial. Um grupo de 333 avaliadores vai dar notas a cada um dos participantes.

Nas provas, os competidores com os melhores desempenhos recebem medalhas de ouro, prata e bronze. As provas aplicadas na competição têm como base as qualificações exigidas pelo mercado de trabalho e as atualizações tecnológicas das empresas. O desempenho dos alunos nas disputas forma um conjunto de indicadores que ajuda o Senai a avaliar a qualidade da educação profissional e atualizar os currículos das suas escolas. Com isso, a instituição mantém seus cursos sintonizados com as necessidades das empresas, facilitando o ingresso de seus alunos no mercado de trabalho.