O técnico Tiago Nunes – Reprodução/Twitter Globo Esporte

Tiago Nunes será o técnico do Corinthians em 2020. O treinador aceitou a oferta da equipe de Parque São Jorge para assumir o lugar de Fábio Carille, demitido após uma série negativa de oito jogos no Campeonato Brasileiro – o estopim foi a goleada sofrida para o Flamengo no final de semana.

O anúncio deve ocorrer ainda nesta terça-feira. O vínculo de Tiago Nunes será válido até o fim do ano que vem, compatível com o período restante do mandato de Andrés Sanchez, e a nova comissão técnica terá um custo menor em relação ao antigo comandante, sozinho.

O Corinthians quer o início do novo trabalho de forma imediata, mas o técnico faz questão de cumprir o contrato com o Athletico-PR, que prevê vencimento em 8 de dezembro.

A insistência dos dirigentes alvinegros ainda deixa essa situação aberta.

A nova comissão será composta pelos auxiliares Evandro Fornari (que está com Tiago no Athletico-PR) e Tarcisio Bugliese (hoje técnico do XV de Piracicaba finalista da Copa Paulista e muito amigo de Tiago), além do preparador físico Túlio Flores e do analista de desempenho Pedro Sotero. Todos, juntos, vão custar aproximadamente R$ 800 mil aos cofres corintianos.

Com o grande assédio do Corinthians, o Athletico-PR já dava sinais que não iria impor grandes barreiras para segurar Tiago Nunes.

Nesta segunda-feira, Mario Celso Petraglia, presidente do Conselho Deliberativo do time paranaense, teve uma reunião com o comandante campeão da Copa do Brasil. O Furacão apostou em uma oferta com contrato mais longo, até 2021, mas deixou claro que não iria superar o seu teto salarial.

O gasto do atual contrato do Athletico-PR com a comissão técnica de Tiago Nunes é considerado baixo para uma equipe de ponta do futebol brasileiro. Estaria na faixa de R$ 300 mil.

Enquanto aguarda o novo treinador, o Corinthians será comandado por Dyego Coelho. O interino fará seu primeiro trabalho oficial no jogo contra o Fortaleza, nesta quarta-feira, em Itaquera.

Ainda na tarde desta terça, Emerson Sheik, que pediu demissão do cargo de coordenador de futebol, e Dyego Coelho vão conceder entrevistas coletivas no CT.

Da Gazeta Esportiva