Sete são presos na Itália acusados de fornecer documentos falsos para terroristas

Grupo teria ajudado 15 extremistas que estavam na Europa

Prisões foram efetuadas em uma operação entre Lombardia e polícia nacional – Foto: ANSA

A Itália prendeu nesta sexta-feira (11) um grupo de sete pessoas na região da Lombardia acusadas de fornecer documentos falsos para terroristas que realizaram ou queriam realizar ataques na Europa.

As detenções foram feitas no âmbito de uma investigação coordenada pela Direção Distrital Antimáfia e Antiterrorismo da Procuradoria de Milão e conduzida pela Divisão de Investigações Gerais e Operações Especiais (Digos) com a Direção Central da Polícia de Prevenção.

Segundo a investigação, os sete eram estrangeiros do “leste europeu” e podem ter sido os responsáveis, por exemplo, de dar documentos falsos para Kutjimi Fejzulai, o homem que em 2 de novembro do ano passado matou quatro pessoas em Viena, na Áustria. Eles ainda investigam a ligação do grupo com os ataques em Paris e Nice nos últimos anos.

O líder do grupo seria Turko Arsimekov, 35 anos, natural da Chechênia, que havia sido preso em Varese em novembro. Ainda não está provado que foi o grupo dele que deu os documentos para Fejzulai, mas os policiais encontraram dados que ligam a organização a, ao menos, outros 15 suspeitos de terrorismo.

Os investigadores acreditam que a ação é uma das mais amplas contra centrais de emissão de documentos falsos na Europa e classificaram como “impressionante” a quantidade de falsificações encontradas com os suspeitos.

Da AnsaFlash

DEIXE UM COMENTÁRIO/RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.