Primeiras 500 mil doses de vacinas produzidas no país serão entregues nesta quarta pela Fiocruz

Em parceria com a Oxford/AstraZeneca, a vacina começou a ser fabricada em Bio-Manguinhos (RJ), com insumos importados

A Vacina de Oxford – Foto: AFP

A Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) entrega nesta quarta-feira (17) 500 mil doses do primeiro lote de vacinas contra a covid-19 produzidas em Bio-Manguinhos (RJ), com insumos importados. Outras 580 mil serão disponibilizadas até sexta-feira (19), totalizando 1 milhão e 80 mil doses entregues ao PNI (Programa Nacional de Imunizações). As informações são do R7.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e o indicado para substituí-lo,o cardiologista Marcelo Queiroga, vão participar hoje de evento na Fiocruz, no Rio de Janeiro. Produzida em parceria com a Oxford/AstraZeneca, a vacina é fabricada em Bio-Manguinhos com IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo) que chegou ao Brasil a partir do dia 6 de fevereiro, provocando atrasos.

Mas com o registro definitivo, concedido pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) na última sexta-feira (12), a Fiocruz passou a ser a detentora do primeiro registro de uma vacina contra covid-19 produzida no Brasil.

Em março, serão entregues o total de 3,8 milhões de vacinas e a Fiocruz já iniciou o escalonamento gradual da produção. Ainda na última sexta, uma segunda linha de produção entrou em operação, o que vai permitir o aumento da capacidade produtiva de Bio-Manguinhos/Fiocruz. A expectativa da instituição é chegar até o final do mês com uma produção de cerca de um milhão de doses por dia.

Nesta semana, o Ministério da Saúde está distribuindo mais 4,5 milhões de doses da vacina produzida pelo Instituto Butantan. O novo lote é destinado para vacinar idosos entre 75 e 79 anos e trabalhadores da saúde. A previsão é de que as entregas ocorram nesta quarta-feira de forma proporcional e igualitária a todas os estados e Distrito Federal.

A nova remessa de vacinas do Butantan corresponde à entrega de duas doses, sendo necessário que estados e municípios façam a reserva da segunda dose para garantir que o esquema vacinal seja completado no período recomendado pelo laboratório, de 2 a 4 semanas.

Veja aqui a divisão das doses para cada estado e DF

Desde o dia 18 de janeiro, quando começou a campanha de vacinação contra a covid-19 no Brasil, já foram enviadas aos estados e DF mais de 24,5 milhões de doses de imunizantes – até o momento, mais de 11,8 milhões já foram aplicadas em grupos prioritários.

Para o mês de março, o cronograma enviado à pasta pelos laboratórios, sujeito a alterações de acordo com a produção das vacinas, prevê a entrega de um total de 30 milhões de doses: 23,3 milhões do Instituto Butantan, enviados em remessas semanais e distribuídas na mesma periodicidade; 3,8 milhões da vacina da AstraZeneca/Oxford, produzida na Fiocruz; e mais 2,9 milhões de doses do mesmo imunizante adquiridos via consórcio Covax Facility.

Instituto Butantan

O Instituto Butantan também vai liberar nesta quarta mais 2 milhões de doses da vacina CoronaVac, produzida em parceria com o o laboratório Sinovac, ao Programa Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde.

Com o novo carregamento, o total de vacinas oferecidas pelo Butantan ao PNI chega a 22,6 milhões de doses desde o início das entregas. Somente nesta semana, o Butantan liberou mais de 5 milhões de doses para o Ministério da Saúde.

DEIXE UM COMENTÁRIO/RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.