Prefeitura de Campo Grande promove evento pela valorização da cultura dos povos Ciganos

A Prefeitura de Campo Grande, a Secretaria de Governo Segov, por meio da Subsecretaria de Defesa dos Direitos Humanos SDHU, da Coordenadoria de Políticas de Promoção Para a Igualdade Racial CPPIR/CG, junto a ROMANI Federação Sul-Mato-Grossense de Cultura e Etnias Ciganas, realizarão o “PATIL ROMANI” – Noite de Homenagem e FESTA DE SANTA SARAH, dia 24 de Maio de 2018, as 19hs.

Os Povos Ciganos são originários da Índia e ha cerca de mil anos começaram a se dispersar pelo mundo.

No Brasil, o primeiro registro oficial da chegada de ciganos data de 1574: um decreto do governo português que deportava o cigano João Torres e sua esposa Angelina para terras brasileiras por cinco anos. Há presença de pelo menos três etnias ciganas no Brasil: Calon, Rom e Sinti. Cada uma dessas etnias tem línguas, culturas e costumes próprios.

Os Rom brasileiros pertencem principalmente aos subgrupos Kalderash, Machwaia e Rudari, originários da Romênia, aos Horahané, oriundos da Turquia e da Grécia, e aos Lovara. A eles se juntam os Calon, com grande expressão em todo o território nacional, oriundos da Espanha e Portugal. Os Sinti chegaram em nosso país principalmente após a Primeira e Segunda Guerra Mundial, vindos da Alemanha e da França.

A Associação Internacional Maylê Sara Kali – AMSK analisou os dados da Pesquisa de Informações Básicas Municipais (MUNIC) de 2011, recolhidas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, e constatou que foram identificados 291 municípios que abrigavam acampamentos ciganos, localizados em 21 estados.

A Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Social – SEPPIR, por meio da Secretaria de Políticas para Comunidades Tradicionais – SECOMT, tem intensificado o diálogo com parceiros para atendimento de políticas públicas específicas que garantam os direitos humanos, sociais e culturais dos Povos Ciganos.

Os povos Ciganos, ao longo de séculos, permaneceram praticamente invisíveis, quase sempre tratados de forma discriminatória e, não raro, como um problema de segurança pública. O estabelecimento de uma data nacional é um reconhecimento público da importância dos Povos Ciganos na formação histórica e cultural do Brasil. Nos últimos anos, as celebrações foram de cunho cultural, parte delas realizadas com o apoio do Governo Federal, objetivando dar visibilidade e divulgar as diferentes expressões culturais dos Povos Ciganos.

Apesar do desconhecimento da maioria dos Campograndenses, vivem aqui aproximadamente 400 pessoas ciganas, representadas por grupos diversos tais como: Calón, Horahano, Kalderash e Matchwani, que manifestam sua cultura por meio da ROMANI Federação Sul-Mato-Grossense de Cultura e Etnia Cigana.

Em 2012, a Lei Estadual 4.192/2012 instituiu o Dia Estadual do Povo Cigano (24 de Maio), tornando-se essa uma data importante para a afirmação da cultura e identidade cigana, permitindo assim o reconhecimento dos direitos desses grupos, que ainda sofrem pela discriminação, como conseqüência do desconhecimento e dos mitos criados em torno das práticas e valores do Povo Rom, os assim chamados ciganos.

A Prefeitura de Campo Grande, através da Subsecretaria de Defesa dos Direitos Humanos e da Coordenadoria de Promoção para Igualdade Racial – CPPIR/CG, busca com este evento, dar visibilidade as manifestações da Cultura Cigana, bem como homenagear personalidades que lutam em defesa da cultura e dos povos ciganos, fazendo um trabalho de sensibilização na luta contra preconceito frente a esta etnia que esta invisível aos olhos da sociedade.