Durante o evento serão ministradas 13 palestras e oferecidos 4 cursos relacionados às geotecnologias – Divulgação

Pesquisas internacionais em geotecnologias aplicadas ao bioma pantaneiro e áreas úmidas semelhantes vão ser apresentadas durante a 7ª edição do Simpósio de Geotecnologias no Pantanal – 7° GeoPantanal. O simpósio ocorre de 20 a 24 de outubro, em Jardim, no Mato Grosso do Sul, com uma série de palestras, mesas-redondas e cursos voltados, principalmente, a pesquisadores, profissionais, estudantes e gestores ambientais.

Durante o evento serão ministradas 13 palestras e oferecidos 4 cursos relacionados a diversos temas como agropecuária e agricultura de precisão, análise de paisagem, avaliações de impacto e gestão ambiental, geoprocessamento, monitoramento de fauna, sustentabilidade e turismo, entre outros. Também haverá exposição de artigos técnico-científicos por participantes de várias regiões do País.

A palestra de abertura ocorre em 21 de outubro (domingo), às 19h30, com a apresentação dos planos de desenvolvimento para o Mato Grosso do Sul e a transformação do espaço pelo secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro) do Mato Grosso do Sul, Jaime Elias Verruck.

A programação inclui uma mesa-redonda sobre monitoramentos da cobertura vegetal e uso da terra em execução no Brasil, para debater experiências de instituições de pesquisa, de um órgão de gestão e do terceiro setor. Com moderação do pesquisador João dos Santos Vila da Silva, da Embrapa Informática Agropecuária, participam como palestrantes o engenheiro florestal Tasso Azevedo, coordenador do projeto MapBiomas, Alessandra Rodrigues Gomes, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), e Fernando Peres Dias, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na segunda mesa-redonda serão abordadas as experiências da aplicação das geotecnologias em estudos ambientais na Bolívia, Paraguai e Brasil. Estarão presentes a bióloga Belen Quezada, do Museu de História Natural Noel Kempff da Bolívia, a professora Larissa Rejalaga, da Universidade Nacional de Assunção, Paraguai, e Laura Borma, do Centro de Ciências do Sistema Terrestre do Inpe.

Impactos ambientais, mapeamento de biomas e agricultura digital
O palestrante Mark T. Brow, professor da Universidade da Flórida (EUA), vai falar no simpósio sobre a vulnerabilidade de áreas úmidas e o gerenciamento adaptativo frente aos impactos ambientais, com exemplos adotados nos pântanos localizados na Flórida, conhecidos como Everglades. O uso de imagens de satélite para interpretação de mudanças ambientais na Bacia do Alto-Paraguai é o tema da palestra do professor Hudson Azevedo, da Universidade Estadual de Maringá.

O Cadastro Ambiental Rural (CAR) e o monitoramento ambiental em Mato Grosso do Sul serão apresentados pelo presidente do Instituto de Meio Ambiente do Estado (Imasul), Ricardo Eboli Gonçalves Ferreira. A pesquisadora do IBGE Luciana Mara Temponi de Oliveira fará palestra sobre o refinamento do mapeamento dos biomas brasileiros. A agricultura digital 4.0, com uso de sensores, softwares embarcados, drones, robôs e internet das coisas, será abordada na palestra do diretor de tecnologias da Geoflorestas Soluções Ambientais, Alexandre Marques de Aguiar. E as áreas de uso restrito no Pantanal serão tema de palestra de representante da Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul).

Capacitação
O 7° GeoPantanal oferece quatro cursos voltados a estudantes e profissionais, nos dias 20 e 21 de outubro, sábado e domingo. Os geógrafos Edson Antonio Mengatto Junior e João Luis dos Santos são instrutores do curso sobre banco de dados com software livre QGIS e replicação de informações via web. O professor Tony Vinicius Moreira Sampaio e o mestrando Otacílio Lopes da Paz, da Universidade Federal do Paraná, vão ministrar o curso sobre desafios e potencialidades do sensoriamento remoto por aeronaves remotamente pilotadas.

As geotecnologias aplicadas ao mapeamento, planejamento e agricultura de precisão são tema do curso que será ministrado por Cleber Gonzales de Oliveira, da Embraer/Visiona, Hiran Zani, cientista de dados da Bayer, e Thiago Gonçalves Rodrigues. As ferramentas TerraHidro e TerraApp serão base para a capacitação prática sobre tecnologias para gerenciamento de recursos hídricos e áreas de proteção permanente, com os pesquisadores do Inpe Sergio Rosim e Laércio Massaru Namikawa.

As inscrições para o simpósio podem ser feitas, com desconto, até 20 de setembro, no site do evento. A organização é da Embrapa Informática Agropecuária, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul (IFMS).