Delegados Fabrício Rocha e Denis Colares, em entrevista coletiva nesta terça-feira – Foto: Adilson Domingos

Em entrevista coletiva na manhã desta terça-feira, 12, na sede da Polícia Federal, o delegado Dênis Colares disse que a empresa Marmiquente, que é investigada na Operação Purificação desencadeada nesta manhã, tinha como único propósito  ganhar licitações dentro do setor de saúde em Dourados.

Segundo o delegado, o fato da empresa não ter sequer sede ou funcionários quando venceu o pregão que garantiria a entrega de marmitas para funcionários e pacientes do Hospital da Vida e da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no valor de R$ 1.800.000,00, mostra que havia “interesses escusos” por traz do processo licitatório.

A investigação da fraude começou após uma denúncia ao Ministério Público Estadual (MPE) que repassou o caso para o Ministério Público Federal após a constatação de que havia recursos federais sendo desviados. De acordo com a Polícia Federal a investigação está em fase inicial e com o material que foi apreendido na manhã desta terça-feira mais prisões poderão ocorrer.

A Operação Purificação teve a participação de oito equipes formadas por 32 policiais federais que cumpriram todos oito mandados de busca e apreensão e um de prisão temporária expedidos pela Justiça Federal em Dourados. Os investigados teriam cometido crimes de estelionato qualificado, uso de documento falso e associação criminosa.