Justiça arquiva processo de estupro de Najila contra Neymar

Promotoria afirmou que caso não teve ‘provas suficientes’ – Foto: EPA

A Justiça de São Paulo aceitou nesta quinta-feira (8) o pedido do Ministério Público Estadual e arquivou o inquérito que apura a denúncia da modelo Najila Trindade contra o atacante Neymar, do Paris Saint-Germain (PSG), por estupro e agressão.

A decisão foi tomada pela juíza Ana Paula Vieira de Moraes, da Vara de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher, aceitando o pedido de arquivamento das promotoras Estefânia Paulin e Flávia Merlini, da Promotoria de Justiça de Enfrentamento à Violência Doméstica de Santo Amaro, em São Paulo.

“Decidimos pelo arquivamento do processo por não haver provas suficientes. Isso não significa a absolvição do averiguado. Há a possibilidade de reabertura do inquérito”, disse Merlini.

Já Paulin afirmou que o Ministério Público pediu provas para Najila em diversas ocasiões, como o celular dela, mas a modelo não forneceu.

“Todas as provas colhidas estavam todas em contradição. Pedimos para a vítima a produção de várias provas e não houve movimentação da parte para isso, por essa razão entendemos pelo arquivamento”, afirmou a promotora.

O crime teria acontecido no dia 15 de maio deste ano, durante um encontro de Najila com o jogador em um quarto de hotel em Paris, na França.

Da AnsaFlash