* Por Rosa Floriano

Deus criou maravilhas e uma delas corre em nossas veias, pois não há nada no mundo que substitua o sangue humano. Assim sendo, sempre que uma pessoa necessita de uma transfusão, como em acidentes, procedimentos cirúrgicos e algumas doenças, ela depende da boa ação das pessoas que se dispuseram a doar sangue para abastecer os estoques médicos.

Rosa Floriano é colunista do agoraMS – Divulgação

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 1,7% da população brasileira é doadora. Devido a carência desse material, criou-se o junho vermelho, mês dedicado a conscientização da importância de doar sangue. Há várias situações que a transfusão se faz vital, como nos pacientes vítimas de acidentes de trânsitos, pacientes com grandes queimaduras, pacientes hemofílicos, anêmicos, com problemas de coagulação sanguínea por exemplo outras situações de emergência.

As transfusões são realizadas para aumentar a capacidade do sangue de transportar oxigênio, restaurar o volume sanguíneo do organismo, melhorar a imunidade ou para corrigir distúrbios da coagulação.

A doação de sangue é um ato de solidariedade e de cidadania, é um procedimento rápido e seguro. Porém, mesmo com vários canais de informação no Brasil, o tema ainda é cercado por conceitos equivocados em relação a doação de sangue. O Brasil necessita diariamente de 5.500 bolsas de sangue, mas apenas 1,7% da população brasileira são doadores.

Em Campo Grande, capital do estado, uma ação interessante encampada pelo vereador Betinho criou a Lei Municipal 5.635/15, que isenta doadores de medula óssea e doadores regulares de sangue da taxa de concursos públicos municipais, e que inclusive há um concurso em andamento para contratar 633 profissionais para a área de saúde. Junho é um mês importante nesse tema, pois também é comemorado o Dia Mundial do Doador de Sangue, em 14 de junho.

A data foi criada por iniciativa da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2014, e o dia escolhido é uma homenagem ao nascimento de Karl Landsteiner (14 de junho de 1868 – 26 de junho de 1943), imunologista austríaco que descobriu o fator Rh. O objetivo desta data é homenagear os doadores de sangue e conscientizar os não-doadores sobre a importância deste ato, que é responsável pela manutenção de milhares de vidas. E digo uma coisa. Nenhum ser humano está livre de necessitar em algum momento de sua vida de uma doação e só quem já precisou ou é ostomizado, sabe dessa vitalidade. Doe sangue e o Criador certamente lhe abençoará por este ato caridoso e humanitário!