Ishy solicita informações sobre recursos destinados a Vigilância em Saúde

Elias Ishy cobrou informações sobre aplicação dos recursos financeiros destinados a vigilância em saúde de Dourados - Foto: Eder Gonçalves
Elias Ishy cobrou informações sobre aplicação dos recursos financeiros destinados a vigilância em saúde de Dourados – Foto: Eder Gonçalves

O vereador Elias Ishy (PT) solicitou informações sobre a aplicação dos recursos financeiros destinados a vigilância em saúde de Dourados. O requerimento foi encaminhado à prefeita Délia Razuk e ao secretário de saúde, Renato Vidigal. Essas informações irão contribuir com a atuação e providências cabíveis nas ações desenvolvidas, principalmente, pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ).

De acordo com informações, o repasse do governo federal ao município, proveniente do Piso Fixo de Vigilância em Saúde (PFVS) e dos Incentivos Pontuais para Ações de Serviços de Vigilância em Saúde (IPVS), seriam para compra de insumos, materiais e equipamentos de combate a dengue. O vereador quer saber, por exemplo, onde estão sendo aplicados os valores, de forma detalhada.

Além disso, Ishy questiona quais são as ações que o Poder Executivo pretende realizar com os referidos recursos e demais repasses previstos para o ano de 2017. Ele também quer saber quais as pretensões em criar o Fundo Municipal de Controle, Prevenção da Febre Amarela e Combate à Dengue e, neste caso, onde serão depositados os recursos provenientes das infrações recebidas pelo município.

Em relação às notificações aplicadas pelo setor de entomologia, por infrações em terrenos baldios, comércios e residências, no período de janeiro de 2010 a 29 de maio de 2017, o vereador pergunta, em termos de quantidade e valor, quantas foram resolvidas, pagas ou estão em dívida ativa.

Desde o início do ano o parlamentar tem se preocupado com a forma melhorar o atendimento público dos agentes de endemias e, logo, a eficiência do trabalho que é considerado tão importante à população. Para ele, doenças que são provenientes do mosquito Aedes Aegypti fazem a comunidade entender o quanto esses trabalhadores são importantes, por isso devem ter boas condições para desenvolver os serviços. “Ainda mais na reorganização da atenção básica de saúde, na prevenção e no controle das doenças”, finaliza.