Ferrovia encurtará em quase um mês trajeto da metade das exportações de MS

Governador Reinaldo Azambuja participou na tarde desta terça-feira da apresentação do projeto da Ferrovia TransAmericana, no auditório Semagro – Foto: Edemir Rodrigues

Integração do modal ferroviário permitirá maior lucratividade aos produtores e aumento na competitividade da produção sul-mato-grossense.

O projeto de integração do modal ferroviário brasileiro e boliviano com saída para o Oceano Pacífico reduzirá em até 25 dias o trajeto percorrido pelas exportações sul-mato-grossenses, destacou o governador Reinaldo Azambuja ao participar na tarde desta terça-feira (19.12) da apresentação do projeto da Ferrovia TransAmericana, no auditório da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico (Semagro), em Campo Grande.

“Pela primeira vez a gente tem algo bem desenhado, numa conexão que encurta de 20 a 25 dias o tempo que a nossa carga leva para se conectar aos países asiáticos, que representam 50% das nossas exportações”, detalhou. Com o encurtamento de 20 mil km de distância no trajeto marítimo, aumenta a competitividade da produção de grãos, celulose, carne e todos os demais produtos do Estado, além de diminuir o custo das importações.

“Vamos caminhar 1,5 mil quilômetros em ferrovias, mas vamos ganhar 20 mil de frete marítimo”, reforçou o governador. Ele destacou ainda que o estudo de viabilidade do projeto já foi feito e a demanda de cargas do Estado contribuiu para atrair investidores. O próximo passo é o pedido à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para ampliação da concessão da empresa Rumo, que opera a malha oeste do Estado. No processo, será incluído o consórcio que contempla as demais investidoras do projeto. “Não tenho dúvida de que teremos uma ferrovia competitiva passando por MS”, adiantou o governador.

Secretário da Semagro, Jaime Verruck, destacou que a obra é um projeto de longo prazo e a prorrogação da concessão – que duraria mais oito anos e deverá ser estendida por mais 30 – é o próximo passo. “O transporte ferroviário é sempre mais econômico que o rodoviário e nós diminuiríamos a pressão nas nossas rodovias e teríamos pontos de carga, com produtos carregados em Corumbá, Campo Grande, Três Lagoas, funcionando como um eixo de desenvolvimento de Mato Grosso do Sul”, detalhou.

A apresentação do projeto foi feita pelo coordenador do projeto Ferrovia Transamericana, Daniel Rossi, que agradeceu o empenho do Governo desde a idealização ao processo de implantação do projeto. “Para mim a malha oeste sempre foi palco de uma solução de longo prazo e nosso compromisso junto ao Estado foi o pacto de desenvolvimento que permitiu uma série de oportunidades que hoje nos trouxeram a esse projeto, cujo maior parceiro sem sombra de dúvida é Mato Grosso do Sul”, afirmou.

Participaram também da apresentação do projeto da ferrovia os deputados estaduais Rinaldo Modesto e Enelvo Felini; secretários de Desenvolvimento de Três Lagoas e Corumbá; além de diversas autoridades e representantes do setor.

Reforço na frota

Na chegada do evento, o governador Reinaldo Azambuja fez a entrega de um jipe Agrale Marruá ao comandante do Corpo de Bombeiros Militar, coronel Esli Ricardo de Lima. Adquirido com recursos de compensação ambiental, o veículo auxiliará no combate a incêndios florestais em locais de difícil acesso.

Chefe da Divisão de Proteção Ambiental dos Bombeiros Militares, o tenente-coronel Waldemir Moreira, destacou os benefícios do veículo para o trabalho da Corporação, visto que em alguns locais nenhum outro consegue chegar – como ocorreu no incêndio do Parque Estadual das Várzeas do Ivinhema, em outubro deste ano, quando vários trechos tiveram de ser percorridos a pé pelos militares porque nem as caminhonetes com tração tinham acesso.

Além do combate ao fogo, o jipe será utilizado também em operações envolvendo alagamentos, comuns em algumas regiões do Estado no período das chuvas. “Não equipamos o veículo somente com equipamento de combate a incêndio porque iremos otimizar seu uso em diversas situações durante o ano”, adiantou.