Sérgio Longen com proprietário da indústria de calçados Pegada, que demonstrou interesse de se instalar em MS - Assessoria
Sérgio Longen com proprietário da indústria de calçados Pegada, que demonstrou interesse de se instalar em MS – Assessoria

Em meio às oportunidades de negócios e vendas concretizadas durante a 5ª Feicc-MS (Feira de Calçados, Couros e Acessórios de Mato Grosso do Sul), que segue até amanhã (19/07), no Centro de Convenções e Exposições Albano Franco, em Campo Grande (MS), duas indústrias calçadistas, a Passokid, de Birigui (SP), e a Pegada, de Dois Irmãos (RS), ficaram interessadas em instalar-se no Estado.

O presidente do Sindical/MS (Sindicato das Indústrias de Calçados de Mato Grosso do Sul), João Batista de Camargo Filho, que organiza o evento, falou aos proprietários das indústrias sobre a infraestrutura e potencialidades do Estado e, agora, os empresários querem conhecer municípios da região da divisa com o Estado de São Paulo para verificar a viabilidade da instalação dos empreendimentos.

“A Feira é uma grande oportunidade para a prospecção de negócios e para divulgar nosso Estado aos lojistas e empresários do Brasil todo. Nossa estrutura, aliada a uma questão logística, pela proximidade com São Paulo, é um atrativo a mais, além dos serviços do Sistema Fiems, por meio do Sesi, Senai e IEL, e os incentivos oferecidos pelo Governo do Estado, que são determinantes para a atração de indústrias”, analisou o presidente do Sindical/MS, acrescentando que, com o auxílio da Fiems, dará início às tratativas com o Governo para viabilizar a concessão de incentivos para as duas empresas.

Um dos proprietários da Passokid, Jair Vanderley Mestriner avalia que a Feira oportuniza ao empresário do segmento calçadista ter um olhar diferenciado sobre a evolução dos negócios. “Já participamos de outras edições da Feicc e fomos sempre muito bem recebidos por Mato Grosso do Sul. Aqui temos uma oportunidade de sentir como o lojista da região se comporta, o que ele espera da indústria e então traçarmos um plano de negócio”, afirmou o empresário que, junto com o sócio, Adilson Marques Nogueira, ocupava um dos 64 estantes do evento.

Distribuidor da marca de calçados Pegada, o empresário Oswaldo Rezende Junior fica no Rio Grande do Sul e já expandiu a área de atuação para a Bahia, e, agora, avalia trazer a distribuidora para Mato Grosso do Sul. “Temos um Estado promissor. Fizemos bons negócios aqui na Feira, sentimos uma receptividade grande dos lojistas e com certeza vemos com bons olhos abrir uma distribuidora aqui”, opinou.

Lojistas

Lojistas do Estado também aproveitaram os 64 expositores de todo o Brasil para abastecer as prateleiras das lojas com novidades em calçados e acessórios. Aos 85 anos, Fátima Adi, cuja loja multimarcas no município de Corumbá leva o mesmo nome, visitou a Feira acompanhada da filha, que também é lojista. “Já participamos de duas edições e sempre voltamos com vários pedidos feitos, porque grande parte do que encontramos aqui são itens da coleção primavera/verão, o que, para nós é uma vantagem, já que em Corumbá, e no Estado em geral, faz calor praticamente o ano todo”, disse ela, que, junto com a família, tem dez lojas de calçados na cidade que faz fronteira com a Bolívia.

A filha, Ibtisam Adi, 56 anos, afirma que a vantagem da feira é encontrar, em um só lugar, diversas marcas. “Facilita muito para o lojista porque são marcas que o cliente procura, e não podem faltar em uma loja. E estão todas reunidas aqui”, acrescentou.

Representante da Loja Centauro, em Dourados (MS), Claudio Pagnoncelli Junior afirma que a Feira proporciona ao lojista conhecer a coleção em primeira mão, entre outras vantagens. “E também conseguimos uma margem muito boa de negociação, principalmente em termos de prazo”, analisou.

Para o empresário, a Feicc significa, ainda, uma oportunidade de driblar a crise. “É um desafio para o empresário sobreviver a este período de crise, não está fácil. Mas aquele que não fica de braços cruzados esperando acontecer, e continua sempre em busca de alternativas, inovações e diferenciais como os que encontramos aqui, passará por este momento”, falou.