Com uma apresentação de gala na Arena da Baixada, o Athletico Paranaense bateu o poderoso Boca Juniors por 3 a 0 e assumiu a liderança do Grupo G da Libertadores da América. O Rubro-Negro agora tem seis pontos ganhos, contra três quatro dos argentinos, que caem para a segunda colocação e podem ainda perder a posição na rodada.

Em um começo de partida bastante equilibrado, o Furacão abriu o placar aos 35 minutos, com o argentino Marco Rúben, aproveitando cruzamento. Depois do intervalo, com domínio total dos brasileiros, Marco Ruben fez mais um, aos 23 minutos. Aos 35 minutos, o atacante rubro-negro marcou o terceiro dele, pegando rebote de bola na trave.

Na próxima rodada, o Athletico enfrenta o Tolima, terça-feira, na Arena da Baixada. Já o Boca Juniors encara o Jorge Wilstermann, na quarta-feira, dia 10, na Bombonera.

O jogo – A equipe argentina tentou mostrar seu cartão de visitas logo no primeiro ataque, com Tevez aproveitando saída errada para arrematar fraco, fácil para Santos. Os visitantes pressionavam a saída de bola athleticana, sufocando o Furacão em seu campo de defesa. Os brasileiros, por sua vez, tocavam bola.

O duelo era marcado por muita marcação no setor de meio-campo, com o Boca tentando pressionar um pouco mais. Aos 13 minutos, Renan Lodi fez o cruzamento e a bola passou por todo mundo na área antes de sair pela linha de fundo. Aos 16 minutos, Nikão abriu espaço e chutou de fora da área por cima da meta. Na resposta, cruzamento na medida para Benedetto, que testou pra fora, com muito perigo.

A partida ficou equilibrada e, aos 22 minutos, Bruno Guimarães cobrou escanteio para desvio de Thiago Heleno, para fora. Contra-ataque argentino aos 28 minutos, com Villa cruzando para Reynoso, que chutou duas vezes, parando em grande defesa de Santos. O troco veio com Rony, acertando um petardo para Andrada salvar.

O Athletico marcava forte, apostando nas roubadas de bola. E foi em uma dessas roubadas, com Rony, aos 35 minutos, que a bola chegou na área para Marco Ruben, com oportunismo, desviar para as redes e abrir o placar. O clima da partida começou a esquentar, com entradas mais fortes.

Para a etapa final, as equipes retornaram sem alterações. Aos três minutos, Renan Lodi tentou o chute de longe, nas mãos de Andrada. Na resposta, a bola sobrou para Benedetto no contra-ataque e o chute colocado subiu demais, para sorte dos athleticanos. O ritmo da partida seguia muito bom. Aos sete minutos, Villa chegou pela ponta e bateu cruzado para Santos agarrar.

O Furacão também abafava a saída de bola do Boca, esperando pelos erros do adversário. Aos 13 minutos, Thiago Heleno tentou surpreender Andrada com um chute do meio-campo e a bola foi por cima da meta. Contra-ataque para Rony, aos 16 minutos, o atacante brigou contra dois e ganhou escanteio depois que a zaga tirou quase em cima da linha. Aos 20 minutos, Tevez arriscou da intermediária, nas mãos de Santos.

Porém, em mais um contra-ataque certeiro, aos 23 minutos, Lucho roubou de Tevez e lançou para Bruno Guimarães, que invadiu a área e cruzou para Marco Ruben, mais uma vez com oportunismo, empurrar para a rede. Os argentinos não conseguiam mais se encontrar no jogo e ainda deixavam espaço para os contra-ataques.

Aos 34 minutos, Rony caminhou com a bola, abriu espaço e chutou para Andrada espalmar pela linha de fundo. Depois da cobrança, Cirino acertou a trave e, no rebote, ele, Marco Ruben, dez o terceiro dele na partida. Ainda deu tempo para, aos 42 minutos, Nikão cobrar falta, Andrada soltar e Cirino, na cara do gol, mandar para afora. Nada que apagasse a noite de gala athleticana.

Athletico Paranaense 3 x 0 Boca Juniors

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data: 02 de abril de 2019, terça-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Roberto Tobar (Chile)
Assistentes: Chrisitan Schiemann (Chile) e Raul Orellana (Chile)
Cartões amarelos: Marco Ruben (Athletico); Tevez (Boca)

Gols
ATHLETICO: Marco Rúben, aos 35 minutos do primeiro tempo e aos 23 minutos e 35 minutos do segundo tempo

ATHLETICO: Santos; Jonathan, Thiago Heleno, Léo Pereira e Renan Lodi; Camacho (Léo Cittadini), Lucho (Wellington) e Bruno Guimarães (Marcelo Cirino); Nikão e Rony; Marco Ruben.
Técnico: Tiago Nunes

BOCA: Andrada; Buffarini, López, Izquierdoz e Más; Marcone e Nández; Villa (Pavón), Reynoso e Tévez (Zárate); Benedetto.
Técnico: Gustavo Alfaro

Da Gazeta Esportiva