O Ahtletico Paranaense garantiu a passagem para as semifinais da Copa do Brasil ao derrotar o Flamengo na disputa de pênaltis por 3 a 1, em partida disputada na noite desta quarta-feira, no Maracanã. No tempo normal, as duas equipes empataram por 1 a 1, gols marcados por Gabigol, para o Flamengo e Rony para o Furacão, ambos no segundo tempo.

Na disputa de pênaltis, o time carioca deu vexame. Diego, Vitinho e Everton Ribeiro desperdiçaram suas cobranças e só Cuellar marcou. Jonathan, Lucho González e Bruno Guimarães marcaram para o Furacão. Bruno Nazario perdeu

Agora, o Rubro-negro de Curitiba vai enfrentar o Grêmio, que eliminou o Bahia, na próxima fase da competição. Quase 70 mil pessoas estiveram no Maracanã, quebrando o recorde da temporada.

Mesmo perdendo o uruguaio Arrascaeta, lesionado, logo nos primeiros minutos, a equipe da Gávea foi superior ao Ahtletico durante o primeiro tempo, mostrando agressividade e velocidade. No segundo tempo, a equipe dirigida por Jorge Jesus caiu de produção e os dois times travaram um duelo equilibrado, tornando o empate um resultado justo.

O jogo – Apoiado por grande torcida, o Flamengo partiu para o ataque assim que a partida foi iniciada. E, aos sete minutos criou a primeira grande chance para marcar. Gabigol recebeu passe de Diego e cruzou. Arrascaeta se antecipou aos zagueiros e cabeceou, mas Santos fez ótima defesa. A pressão carioca prosseguiu e aos 11 minutos, após cruzamento de Arrascaeta, Everton Ribeiro cabeceou, mas a bola bateu em Márcio Azevedo e saiu para escanteio.

Muito pressionado, o Ahtletico não conseguia respirar e se limitava a afastar o perigo da sua área. Aos dez minutos, o uruguaio Arrascaeta sentiu dores na coxa direita, caiu no gramado e pediu para sair. Vitinho entrou em seu lugar.

Mesmo sem Arrascaeta, o Flamengo seguiu pressionando em busca do gol. Aos 15 minutos, após cruzamento de Rafinha, Lincoln se antecipou aos zagueiros e tocou. O goleiro Santos conseguiu desviar e a bola ainda bateu na trave antes de sair.

Um minuto depois, a defesa paranaense errou na saída de bola e Diego lançou Lincoln sem marcação, mas o atacante chutou fraco e facilitou a defesa de Santos.

O time dirigido por Jorge Jesus seguia sufocando o adversário. Enquanto Lincoln atuava mais fixo na área, Gabigol se movimentava por todos os lados e confundia a marcação da equipe de Curitiba. O Ahtletico não conseguia ficar com a bola e apenas tentava bloquear os avanços do adversário.

Só aos 29 minutos é que o Furacão conseguiu chegar com perigo. Marcelo Cirino recebeu nas costas de Renê e cruzou para Rony completar com grande perigo. A bola encobriu o travessão defendido por Diego Alves.

Depois dos 30 minutos, o Flamengo reduziu bastante o ritmo, parou de marcar a saída de bola do Ahtletico que passou a ficar mais tempo com a bola, embora continuasse com dificuldades para pressionar a defesa do time carioca. A saída de Arrascatea fez a equipe da casa perder o ritmo inicial, porque Vitinho entrou sem a mesma intensidade do uruguaio.

Aos 42 minutos, os jogadores da equipe carioca chegaram a pedir a marcação de pênalti após jogada confusa na área, mas o árbitro não viu toque de Wellington, decisão confirmada pelo VAR.

No final do primeiro tempo, alguns jogadores do Flamengo reclamaram da arbitragem e Gabigol, o mais exaltado, recebeu cartão amarelo. O técnico Jorge Jesus chegou a entrar em campo para retirar o jogador da confusão.

O segundo tempo começou em ritmo mais lento. O primeiro ataque do Flamengo ocorreu aos seis minutos. Lançado por Vitinho, Gabigol derivou para o meio e chutou, mas a bola foi bloqueada por Márcio Azevedo.

Mesmo sem repetir o bom início do primeiro tempo, o time comandado por Jorge Jesus seguia ditando o ritmo da partida, procurando espaços na defesa paranaense para tentar concluir.

O Ahtletico se defendia bem, mas não tinha forças para chegar ao ataque, facilitando a tarefa da defesa do time carioca.

Aos 15 minutos, Jorge Jesus decidiu aumentar a agressividade da equipe e colocou o colombiano Berrio que passou a se revezar com Gabigol no comando do ataque.

Um minuto depois, o Flamengo marcou o primeiro gol. Vitinho driblou Jonathan e cruzou. Everton Ribeiro ajeitou de cabeça e Gabigol, de canhota, completou para as redes, colocando a sua equipe em vantagem.

O gol não reduziu o ímpeto da equipe da Gávea que seguiu pressionando para tentar marcar o segundo gol e liquidar a partida. Aos 26 minutos, Rafinha cruzou e Gabigol concluiu, mas a bola bateu na zaga e saiu para escanteio. Na cobrança, Berrio cabeceou por cima do travessão.

O Ahtletico se adiantou e, aos 31 minutos, deixou tudo igual. Bruno Nazário fez ótimo lançamento para Rony que investiu e bateu cruzado. Diego Alves ainda tocou na bola, mas não conseguiu evitar que a bola entrasse.

O jogo ficou mais aberto, mas o Flamengo seguia com mais posse de bola e tentando o desempate, enquanto a equipe paranaense buscava aproveitar os espaços deixados pelo adversário.

Aos 39 minutos, Marco Ruben foi lançado na corrida, mas Diego Alves saiu do gol e mandou para a lateral.

Aos 43 minutos, a torcida rubro-negra tomou um grande susto. Rodrigo Caio foi desarmado por Rony que arrancou pela direita e lançou para Lucho González que chutou em cima de Léo Duarte que chegou a tempo para salvar sua equipe. Logo depois, o mesmo Rony chutou com perigo depois de receber passe de Nazário.

Ficha Técnica
Flamengo-Rj 1(1) x (3) 1 Athletico-PR

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 17 de julho de 2019 (Quarta-feira)
Horário: 21h30 (de Brasília)
Público: 69.680 presentes
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO)
Assistentes: Alessandro Alvaro Rocha de Matos (Fifa-BA) e Fabricio Vilarinho da Silva (Fifa-GO)
VAR: Igor Benevenuto de Oliveira (MG)
Gols:
FLAMENGO: Gabigol, aos 16 minutos do segundo tempo
AHTLETICO PR: Rony, aos 31 minutos do segundo tempo
Cartão Amarelo: Renê, Gabigol (Flamengo); Léo Pereira, Rony, Bruno Guimarães (Athletico Paranaense)

FLAMENGO: Diego Alves, Rafinha (Rodinei), Léo Duarte, Rodrigo Caio e Renê; Cuéllar, Diego, Everton Ribeiro e Arrascaeta (Vitinho); Lincoln (Berrio) e Gabigol
Técnico: Jorge Jesus

ATHLETICO-PR: Santos, Jonathan, Léo Pereira, Robson Bambu e Márcio Azevedo (Lucho González); Wellington, Bruno Guimarães e Nikão (Bruno Nazário); Marcelo Cirino (Vitinho), Rony e Marco Ruben
Técnico: Tiago Nunes

Da Gazeta Esportiva