Após articulação da Fiems e AL, Governo anuncia redução de alíquota para atacadistas

Anúncio foi feito pelo governador Reinaldo Azambuja durante reunião com Sérgio Longen, presidente da Fiems, Paulo Corrêa, presidente da ALEMS, Akito Ikeda, presidente da Asmad e demais empresários – Assessoria

Depois de uma articulação iniciada em setembro deste ano pelo Fiems e Assembleia Legislativa, o Governo do Estado anunciou, nesta quarta-feira (18/12), a redução de 17% para 13,50% na alíquota do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) para o segmento atacadista e distribuidor de Mato Grosso do Sul a partir de 1º de fevereiro de 2020.

O anúncio foi feito pelo governador Reinaldo Azambuja durante reunião, na Governadoria, com o presidente da Fiems, Sérgio Longen, com o presidente da Assembleia Legislativa, Paulo Corrêa, com o presidente da Asmad (Associação Sul-Mato-Grossense dos Atacadistas e Distribuidores), Akito Ikeda, e demais empresários do segmento atacadista e distribuidor do Estado.

Segundo Sérgio Longen, a medida resultará em aquecimento da economia estadual. “Esse debate foi feito com a Sefaz (Secretaria Estadual de Fazenda) por dois meses e o Governo atendeu um pleito que trará competitividade para os atacadistas e distribuidores locais. O governador demonstra que tem interesse que esse segmento também avance e contribuía com o desenvolvimento estadual”, afirmou.

Ainda de acordo com ele, o Estado precisa que a economia seja mais pujante, que a economia cresça. “E o crescimento da economia vai gerar mais empregos, proporcionando um aumento no consumo e, consequentemente, a arrecadação de ICMS será maior, mesmo com a redução da alíquota. Um grande feito e eu entendo que esse é o Mato Grosso do Sul que todos nós queremos”, destacou.

Para o presidente da Assembleia Legislativa, é um avanço essa concessão de incentivo do Governo do Estado para os atacadistas e distribuidores de Mato Grosso do Sul, podendo aumentar a competitividade desse importante segmento. “Essa redução do ICMS vai possibilitar que os atacadistas e distribuidores possam competir com os de Minas Gerais, de Goiás, do Mato Grosso, do Paraná e de São Paulo, que atacam quem tem estrutura e gera empregos no Estado”, pontuou.

Paulo Corrêa acredita que a medida é uma defesa para quem realmente emprega e merece pagar menos impostos. “O governador Reinaldo Azambuja deu um voto de confiança e abre mão de parcela da receita para incentivar os atacadistas e distribuidores do nosso Estado”, disse.

A respeito da participação da Assembleia Legislativa na articulação, o deputado estadual ressalta o fato de o governador pensar em ações que tragam benefícios para o Estado. “Nós, na Assembleia Legislativa, contribuímos aproximando as partes para que aconteçam políticas públicas, viabilizando setores que diversifiquem cada vez mais a atividade econômica de Mato Grosso do Sul”, declarou.

Na avaliação de Akido Ikeda, a redução é um reconhecimento do Governo do Estado à classe dos atacadistas e distribuidores. “Nos fortalece positivamente, visto que melhora a nossa competitividade frente aos atacados que vêm de fora porque eles gozam de um inventivo do Estado de origem”, afirmou, acrescentando que em dezembro de 2020 o cenário será reavaliado. “A nossa expectativa para o ano que vem já é muito positiva, pois o Governo começa olhando para a classe e entendendo nossas demandas. É muito importante”, finalizou.