Alunos da Escola do Sesi da Capital fazem releitura de obras de Vinicius de Moraes

No âmbito das aulas online adotadas devido ao avanço da pandemia mundial do novo coronavírus (Covid-19), os alunos da 3ª série do Ensino Médio da Escola do Sesi de Campo Grande fizeram a releitura das obras “A Rosa de Hiroshima” e “Soneto de Fidelidade”, do poeta, cantor e compositor brasileiro Vinicius de Moraes. A atividade faz parte do conteúdo de leitura de um clássico e releitura literária que fazem parte da disciplina de Língua Portuguesa.

Segundo o diretor Murilo Augusto de Oliveira Junior, é salutar sublinhar que os jovens apreciam a leitura, apesar de existir uma corrente que negue isso. “Quando se observa seus gostos e os sucessos de vendas, tais como trilogias e séries, essa corrente perde o sentido. Todavia, poucos são os estudantes do Ensino Médio inclinados aos clássicos, em específico ao ensino de Literatura”, declarou.

Ele completa que essa perspectiva é corroborada por diversos estudiosos, como Antônio Candido, Regina Zilberman, Marisa Lajolo e Tzvetan Todorov. “Nesse sentido, a Escola do Sesi de Campo Grande tem por objetivo fomentar o gosto pela leitura de clássicos e a valorização do ensino de Literatura. Para tanto, são oferecidos aos alunos da 3ª série do Ensino Médio atividades desafiadoras que visam a análise, interpretação e releitura de algumas obras”, pontuou.

No caso dessa atividade, os alunos teriam de fazer a releitura de dois poemas de Vinicius de Moraes – “A Rosa de Hiroshima” e “Soneto de Fidelidade” -, sendo livre a expressividade de cada um por meio de desenhos, reescritas e até vídeos. Sabe-se que Vinicius de Moraes é conhecido por sua afetividade e estética, tanto que até hoje seus versos passam de mão em mão e sua escrita exige uma leitura minuciosa por conta da maneira que ele expressa os sentimentos humanos, a sua realidade, o amor próprio ou a sua partilha, além das adversidades e descontroles.

Para a aluna Hellen Oliveira, a atividade lhe deixou um pouco apreensiva na hora de fazer os trabalhos, pois de início não sabia muito bem o que fazer. “Porém, ao ler as poesias que foram requisitadas, eu já consegui pensar em algumas coisas legais e que poderia realizar. Como não sou muito boa em desenho, acabei resolvendo fazer uma foto e um vídeo, o vídeo ficou com o poema que eu mais gostei e gravei todos os pedaços no meu quarto”, relatou.

Já a aluna Isabela Duarte optou por fazer a releitura da obra “A Rosa de Hiroshima”, que recebeu esse nome como um protesto sobre as explosões de bombas atômicas ocorridas na cidade de Hiroshima e Nagasaki, no Japão, durante a 2ª Guerra Mundial, e também de “Soneto de Fidelidade”, que aborda os sentimentos de amor e fidelidade em um relacionamento. “Em ‘A Rosa de Hiroshima’ cada desenho corresponde a um verso do poema e, no outro, ‘Soneto de Fidelidade’, as frases desenhadas são do poema”, detalhou.