Veja como decorar a sua casa no estilo industrial

O estilo industrial começou a se popularizar a partir da década de 1970, quando lofts industriais eram aproveitados como residências, em especial em Nova York (EUA). Mas, historicamente, o primeiro espaço com essa finalidade foi o conjunto Cité Radieuse, em Marselha (França), um local destinado a receber os cidadãos afetados pela Segunda Guerra Mundial e projetado por Le Corbusier. Se você quiser, ainda pode visitar o lugar até hoje.

Com a globalização, o estilo se espalhou e ganhou outras proporções e formas. Por causa da sua origem, inicialmente as residências que adotavam o estilo industrial empregavam partes elétricas aparentes, paredes de tijolo, tons de cinza, preto e branco, tudo para simular os galpões industriais de antigamente que haviam se tornado residências. Com o tempo, ele foi assumindo novas características, no entanto. Além de simular um ambiente retrô, também buscava a sofisticação e elementos mais leves e delicados, em contraponto ao estilo bruto inicial.

Surgiu, então, o industrial chique. Ele agrega todos os elementos já citados, mas também inclui objetos e móveis sofisticados, como um tapete oriental e obras de arte, assim como toda e qualquer peça de design estilizada que possa adornar o ambiente. É dessa forma que você pode decorar a sua casa: com elementos antigos e atuais, harmonizando os dois e deixando a residência rústica e moderna ao mesmo tempo.

Do estilo industrial tradicional, você pode resgatar as vigas aparentes, a madeira desgastada, pisos de cimento ou de concreto, paredes com revestimento rústico, de tijolo ou com papel de parede que simule essa característica. O “faça você mesmo” combina muito bem com essa forma de decoração, com objetos e móveis reciclados. Um ventilador de parede também dá um ar rústico-industrial e deixa o espaço do chão livre.

A decoração industrial prevê a otimização dos espaços. Por este motivo, se aproxima um pouco do minimalismo. Dessa forma, é importante que você escolha bem os móveis utilizados, para que eles sejam funcionais e façam jus ao espaço ocupado. A regra é tirar o excesso, como móveis não utilizados. O rack, por exemplo, não é tão necessário. É possível colocar a TV na parede e ganhar espaço. Uma vez que você já eliminou o que não precisa mais, o espaço ficará mais clean e confortável.

Lembra da característica de ser funcional? Isso não se aplica só com os móveis como também com os cômodos. As residências que adotam a decoração industrial muitas vezes são espaçosas, replicando os galpões onde os funcionários moravam. Por isso, é comum encontrar locais com interligação entre a sala e a cozinha, por exemplo, sem paredes.

Para dar ainda mais noção de espaço, você pode instalar espelhos em áreas estratégicas, embora o ideal seja, realmente, manter o espaço o mais livre possível para circular. Nesse caso, uma sala pode virar quarto e uma cozinha também pode ser sala de jantar.

Os lares com esse estilo também carregam outra característica dos ambientes industriais, que são as portas e janelas grandes para propiciar uma maior entrada de luz natural no ambiente. Essa técnica é aplicada em casas e apartamentos nos dias de hoje.

Se, antes, o estilo industrial era composto por cores menos vibrantes, com um toque pesado e rústico, com o tempo ele foi se modificando.

Como já foi dito, o industrial foi desmembrado em outra categoria, chamada de industrial chique. Nela, há uma predominância maior de objetos mais delicados e leves, fazendo um contraste com os outros elementos provenientes dos galpões industriais. Acabamentos mais elegantes, texturas delicadas e cores mais vibrantes: tudo isso contribui para um ambiente mais moderno e sofisticado, além de manter elementos inspirados nos lofts.

Por falar em cores, elas ainda são utilizadas em tons de cinza, mas também não ficam só nessa tonalidade. Cores mais quentes podem ser utilizadas, como o marrom das madeiras e o verde das plantas, além de outras cores mais vibrantes. Outra tendência é a cor ultra violet, eleita a cor de 2018 pela Pantone.