Quatro envolvidos no assalto ao carro-forte são mortos em confronto com a polícia

Assalto foi nesta segunda-feira, 02, na MS-156, entre Amambai e Caarapó – Divulgação

Na madrugada desta quarta-feira, 04, quatro assaltantes envolvidos na tentativa de roubo ao carro forte da empresa Brink’s, na última segunda-feira (2), na MS-156, entre Amambai e Caarapó, morreram em confronto com policiais.

Segundo o site Enfoque MS, equipes do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), Batalhão de Choque, Departamento de Operações de Fronteira, Delegacia Especializada de Repressão a Crimes de Fronteira e Delegacia de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros localizaram o grupo com armamento pesado em uma fazenda no município de Coronel Sapucaia, fronteira com o Paraguai.

Os policiais localizaram o grupo na noite de ontem (3), e na manhã de hoje, com ordem judicial expedido pelo juízo da comarca de Amambai, os policiais iniciaram a operação.

Dentre os mortos está José Francisco Lumes, o Zé de Lessa, um dos assaltantes de bancos e carro-forte mais procurados do País. Ele era líder do Bonde do Maluco, conhecido como BDM, considerada pela Secretaria da Segurança Pública da Bahia, a facção mais truculenta do Estado.

O caso

Na manhã desta segunda-feira (2), criminosos armados com fuzis atacaram um carro-forte de empresa de transporte de valores Brink’s, na MS-156, entre as cidades de Amambai e Caarapó.

O veículo da empresa de transporte de valores, a Briks, foi atacado numa região considerada de “ponto cego”, sem sinal de comunicação.

Segundo a polícia, o grupo chegou a colocar explosivos na porta do veículo, porém, não conseguiram abrir. Os vigilantes que estavam no carro-forte correram e pediram ajuda em uma fazenda, sendo resgatados.

Os bandidos estavam em um Jeep Renegade, da cor branco, que entrou na frente do carro-forte. O grupo passou a atirar contra o veículo de transporte de valores. Após receber vários disparos, a maioria no pneu, o motorista parou o veículo às margens da rodovia e todos os ocupantes desceram e empreenderam fuga, no entanto, o carro-forte permaneceu fechado.

Como não conseguiram levar dinheiro, o Renegade foi incendiado. Para fugirem em direção ao Paraguai, os bandidos interceptaram um C4, abandonando os passageiros na estrada.

Conforme a polícia, o carro-forte saiu de Dourados e seguia com dinheiro para abastecer bancos na região sul do estado.