Dr. Sandro Arredondo Lugo estava assistindo um treino de Motocross quando foi assassinado – Divulgação

Diretor acadêmico de faculdade de medicina na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero foi baleado em meio a um tiroteio e faleceu ao chegar em clínica particular na fronteira.

Segundo o site Porã News, o fato ocorreu na tarde desta quarta-feira (27) por volta das 18h40, quando o médico e diretor acadêmico da UCP (Universidade Central del Paraguai), Dr. Sandro Arredondo Lugo, estava assistindo um treino de Motocross na pista situada entre a cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero e Zanja Pytã, a uns 50 metros da BR 463, 10 km de Ponta Porã, onde, segundo a polícia, teriam chegado os pistoleiros a bordo de quatro caminhonetes e realizaram vários disparos contra os presentes, com quem se encontrava o piloto de aeronave Fernando Olmedo Calonga, acompanhado de dois seguranças, que segundo a polícia seria o alvo dos pistoleiros, mas os disparos de fuzil teriam acabado acertando o conhecido médico e diretor acadêmico de uma das mais renomadas universidades da região de fronteira com o estado do Mato Grosso do Sul.

O médico, juntamente com o piloto e um segurança conseguiram chegar a bordo de uma caminhonete blindada da marca Toyota, modelo Land Cruise, cor cinza, placa BXF 983 Paraguai até uma clínica particular da cidade de Pedro Juan Caballero, onde ao não resistir aos ferimentos faleceu.

Agentes da Divisão de Homicídios não descartam que o ataque era dirigido ao piloto de aeronave e seus seguranças, e investigaram o caso com o apoio da promotora de justiça Liz Nadine Portillo e da Direção de Investigações de Casos Puníveis e agentes da Polícia Técnica da Polícia Nacional do Paraguai em Pedro Juan Caballero, que manifestaram que os pistoleiros teriam utilizado arma de grosso calibre tipo fuzil durante o ataque.

Moradores da região de fronteira, amigos e familiares do médico manifestaram sua indignação e cobraram das autoridades policiais paraguaias uma profunda investigação sobre o caso e punição dos culpados que ceifou de forma violenta a vida do profissional nesta parte do país na fronteira com o estado do Mato Grosso do Sul.