João Antonio Lorençone, aluno do curso técnico integrado em Agricultura do Campus Naviraí, foi escolhido com um projeto que incentiva o hábito da leitura.

O estudante do Campus Naviraí do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), João Antonio Lorençone, representará o Estado no Parlamento Juvenil do Mercosul (PJM) durante o período 2018 a 2020.

Aluno do 4º semestre do curso técnico integrado em Agricultura, João Antônio recebeu 72% dos votos. A estudante do curso técnico integrado em Mecânica do Campus Campo Grande, Vitória Padilha, também concorreu. A votação foi realizada pela internet entre 26 e 30 de novembro. Puderam votar estudantes do ensino médio de 14 a 18 anos.

João Antônio foi escolhido com o projeto “Multiplicadores de ações de leitura no IFMS-Naviraí: ampliando a produção de leitores na comunidade escolar”, orientado pelo professor de Geografia, Fernando Messias. O objetivo é estimular a leitura entre os estudantes, destacando o papel que a escola pode assumir na ampliação do número de leitores no país.

A proposta é criar redes de interação com o objetivo de mobilizar a comunidade interna do Campus Naviraí em ações que promovam e incentivem a leitura. Uma das ideias é formar multiplicadores que assumam a organização de ações articuladas, tendo como parâmetro promover a prática da leitura junto à comunidade escolar.

“A ideia surgiu da observação que fiz na minha própria escola, onde muitos alunos usam o celular para ver mensagens, mas poucos leem livros físicos. Quando leem, são obras de ficção. Percebi a dificuldade que eles têm para ler a literatura clássica, por exemplo. Com o projeto, pretendemos incentivar a leitura de livros em geral, não só de ficção, como também de literatura brasileira e textos jornalísticos”, explicou o estudante.

Além da formação de multiplicadores, o projeto prevê ainda a criação de murais de leitura (com textos jornalísticos, literários e científicos), de um jornal escolar e de ações vinculadas ao Cineclube de Naviraí, com a exibição de filmes que sejam adaptações de obras literárias.

Parlamento Juvenil – Ao todo, foram escolhidos 27 estudantes do ensino médio e técnico integrado para representar o Brasil no Parlamento Juvenil do Mercosul pelos próximos três anos.

Além de desenvolverem os projetos selecionados, os jovens participarão do processo de elaboração da Declaração do Parlamento Juvenil. O documento será produzido durante um encontro que ocorrerá em Montevidéu, no Uruguai.

“Entre as atividades previstas para o decorrer de 2019 estão uma viagem pelos países do Mercosul, a realização de um curso de formação e a aplicação do projeto”, informou o professor que orienta João Antonio.

Para o estudante, a participação no PJM será uma oportunidade para ampliar seus conhecimentos.

“A expectativa é de aprendizado, tanto no que diz respeito ao conhecimento técnico que terei para colocar o projeto em prática no Campus Naviraí, quanto no aspecto cultural, por meio do contato com os países do Mercosul e com os estudantes de diferentes regiões do país”, comentou João Antônio.

Programa – É promovido pela Assessoria Internacional do Ministério da Educação (MEC), em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e o Instituto Internacional para o Desenvolvimento da Cidadania (IIDAC).

Com o tema “O ensino médio que queremos”, a 5ª edição do PJM visa abrir espaço para diálogos e discussões acerca de temas ligados à educação, como: inclusão educativa, participação cidadã, direitos humanos, diversidade de raça, etnia e gênero, integração regional e trabalho.

O programa tem como objetivo ajudar os jovens a atuar de forma cidadã, ética e responsável em sua comunidade e na sociedade, além de estimular o protagonismo juvenil por meio da implementação de projetos que tenham como foco o fortalecimento dos coletivos jovens nas escolas e que possam minimizar problemas do cotidiano escolar.