Endividamento dos campo-grandenses aumenta em março

Indicador de inadimplência é o maior desde fevereiro de 2020

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, divulgada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aponta que neste mês de março o índice de famílias que informam ter dívidas como cheques pré-datados, cartões de crédito, carnês de lojas, empréstimo pessoal, prestações de carro e seguros passou de 59,3% em fevereiro para 62,7% em março.

Já os indicadores de inadimplência estão maiores. Neste mês, 34,2% disseram que têm contas em atraso, contra 32,7% e o índice dos que disseram que não terão condições de pagar as contas passou de 11,7% a 12,9%, o maior desde fevereiro do ano passado.

“São números que acedem um alerta, diante dos impactos econômicos que temos percebido com o recrudescimento da pandemia”, observa a economista do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio MS (IPF-MS), Daniela Dias.

Os dados acompanham o que aconteceu em âmbito nacional. O percentual de famílias endividadas no Brasil alcançou 67,3% do total em março deste ano, uma alta de 0,6 ponto percentual em relação ao mês anterior e de 1,1 ponto em comparação a março de 2020.

De acordo com a CNC, o aumento do endividamento mês a mês, apesar de não ser vertiginoso, vai ao encontro do que os economistas têm alertado para o período de fechamento de comércios e serviços e impactos no mercado de trabalho.

Confira AQUI a PEIC.

DEIXE UM COMENTÁRIO/RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.