Pacientes e familiares são envolvidos em ações voltadas para saúde mental em Dourados – Foto: Departamento de Atenção Especializada

Com atendimento a pacientes de Dourados e região, a Secretaria Municipal de Saúde direciona as ações na área de saúde mental nas instituições do município e prestando apoio nas instituições conveniadas. Mais de mil pacientes são atendidos, em média, por mês neste segmento pelo município e a administração Délia Razuk tem atuado para que as ações sejam ampliadas e cada vez mais sejam inseridos os familiares de pacientes atendidos com ações voltadas para qualidade de vida.

Todas as Unidades Básicas de Saúde do município realizam o primeiro atendimento e verificam quais são as demandas necessárias para o paciente que mostra possuir necessidade deste tipo de serviço, e o encaminham para o serviço de acordo com sua característica de assistência especializada.

O Caps II (Centro de Atenção Psicossocial), Caps AD (Centro de Atenção Psicossocial – Álcool e outras Drogas), o Ambulatório de Psicologia e Psiquiatria e a PAI (Policlínica de Atendimento Infantil) atuam neste eixo em Dourados.

No Caps II, o serviço é de “porta aberta” para portadores de transtornos mentais graves e severos, com atendimento a população acima de 16 anos. A equipe multiprofissional presta atendimentos diários, estrutura projetos terapêuticos com cuidado clínico eficiente e personalizado.

O trabalho acontece na instituição de forma a promover a inserção social dos usuários através de ações intersetoriais que envolvam educação, trabalho, esporte, cultura e lazer, montando estratégias conjuntas de enfrentamento dos problemas.

No Caps II, a média de atendimentos individuais alcança cerca de 300 ao mês, além das ações com oficinas diversas e o atendimento aos familiares dos pacientes. Além disso, o Caps II realiza suporte ao Serviço de Residência Terapêutica que atende mulheres com transtornos mentais graves.

No Caps AD, o serviço também é “porta aberta”, sendo voltado a crianças, adolescentes e adultos. O acolhimento é voltado para as pessoas com transtornos relacionados ao uso de álcool e outras drogas.

Vanda Dias Assad, do Departamento de Atenção Especializada e Urgência Hospitalar, destaca que este é um ponto de atenção compreendido como parte fundamental de uma rede assistencial que inclui serviços ambulatoriais, leitos psiquiátricos em hospitais gerais e que se articula com rede de atenção primária em saúde e outros serviços assistenciais.

Neste serviço, cerca 200 pessoas são atendidas mensalmente. As oficinas na instituição envolvem, ao menos, 15 participantes todos os dias. Os familiares também são envolvidos no atendimento.

O PAM (Pronto Atendimento Médico) atua com ambulatório de psicologia e psiquiatria para transtornos mentais leves e moderados, voltado para público acima de 16 anos.

De acordo com Vanda Assad, na unidade acontecem mais de 650 atendimentos mensais na área da saúde mental.

“Para o encaminhamento no PAM, o paciente que procura o atendimento na Atenção Primária a Saúde, é encaminhado pelo médico para o serviço especializado via Sistema de Regulação Ambulatorial”, diz.

A PAI (Policlínica de Atendimento Infantil) também atua com ambulatório de psicologia e psiquiatria. O acompanhamento acontece com o público de 0 a 15 anos 11 meses e 29 dias. O encaminhamento é semelhante ao do PAM, via Atenção Primária a Saúde e posteriormente via Sistema de Regulação Ambulatorial. Nesta unidade são quase 600 atendimentos no segmento, por mês.

A Secretaria Municipal de Saúde direciona que em caso de pacientes com crises, o acompanhamento acontece na UPA (Unidade de Pronto Atendimento).

Vanda ressalta que em caso de existência de risco, como agressividade, o atendimento pode contar com suporte do Samu (Serviço Móvel de Atendimento de Urgência) e Corpo de Bombeiros.

O município presta ainda apoio em instituições que são conveniadas, como a Toca de Assis, Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais), Associação Pestalozzi de Dourados e AAGD (Associação de Pais e Amigos dos Autistas da Grande Dourados).

“Dourados é uma referência nestes serviços e para os próximos meses estamos traçando estratégias para ampliar o horário de atendimento em algumas unidades de saúde do município”, anuncia Vanda Assad.