Crise faz empresa chinesa paralisar obras de indústria em Maracaju

Após três anos, obra de grupo chinês segue sem previsão de retomada – Foto: Valdenir Rezende / Arquivo / Correio do Estado

Com obras paralisadas, a construção da indústria de processamento de milho da chinesa BBCA está cercada por incertezas. O empreendimento em Maracaju tem investimento inicial orçado em US$ 1,2 bilhão (aproximadamente R$ 3 bilhões), mas acumula série de atrasos para conclusão da planta. As informações são do portal Correio do Estado.

Fruto de um acordo de cooperação firmado entre o governo do Estado, o Banco de Desenvolvimento da China (CDB) e o Grupo BBCA, a indústria esmagadora de milho começou a ser edificada em uma área de aproximadamente 320 hectares. A unidade terá capacidade para processar até 1,2 milhão de toneladas de grão. Quando iniciar a operação, a fábrica deve gerar em torno de mil empregos – 600 diretos e 400 indiretos.

A titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente de Maracaju (Sedema), Renata Azambuja Miranda, não crê que a BBCA possa abandonar a obra. Por enquanto, apenas dois armazéns, um barracão e 30 casas com 60 habitações para trabalhadores estão prontos no local. As vias de acesso ao complexo também estão finalizadas.