O Sindicato do Comércio Varejista Transportador e Revendedor de GLP do Estado de Minas Gerais, SIRTGAS/MG com apoio da ASMIRG-BR, estará promovendo dia 07/11/2017, manifestação em Belo Horizonte contra os aumentos abusivos e sucessivos no preço do gás de cozinha praticado pela Petrobras.

De janeiro a outubro deste ano, a Petrobras elevou o preço do tradicional botijão de gás de cozinha em R$ 7. Se não houver novos aumentos este ano, a projeção de ganhos da Petrobrás somente com estes repasses está na ordem de R$ 3 bilhões ao ano.

Aumentos sucessivos na Petrobrás

Conforme dados da ANP, foram comercializados nos últimos 07 meses uma média de 35.650.330 botijões de até 13 Kg.

Dados do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário , apontam no mês de setembro de 2017, 25.598.020 famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais, com renda mensal de até meio salário mínimo.

Os últimos aumentos da Petrobrás para o GLP residencial impactaram diretamente nas famílias de baixa renda, 72% dos consumidores de GLP possuem renda mensal de até ½ salário mínimo.

O primeiro resultado sentido no setor foi, a queda nas vendas de um produto que nunca poderia faltar dentro de nossos lares, somente no mês de setembro conforme dados da ANP, a venda de botijões de até 13 Kg caiu em aproximadamente 3 milhões de botijões.

O setor revenda pretende através desta manifestação, apresentar seu repúdio aos sucessivos aumentos do GLP e questionar as nossas autoridades sobre a ausência de limites ou regulamentações que possam frear os abusos no comercio de um produto de utilidade pública, de interesse nacional.

O que a Petrobrás considerou para ter a necessidade dos últimos aumentos do GLP?

  1. a) % do GLP produzido no Brasil?
  2. b) % do GLP utilizado para fins residencial?
  3. c) % do GLP importado para fins residencial?
  4. d) os ganhos praticados no preço do GLP industrial, que estão acima dos limites internacionais?

O ato público ocorrerá dia 07/11/2017, com concentração as 14h na Rua Andrômeda, 1080 – Jardim Riacho das Pedras – Contagem/MG, em seguida haverá uma carreata até a ALMG – Praça Carlos Chaga, onde será entregue ao Presidente da Comissão de Minas e Energia –Deputado João Vitor, um manifesto contra os aumentos abusivos do GLP e propostas de medidas reparadoras para o setor.