Impressora 3D na Escola de Naviraí – Assessoria

Os alunos das escolas do Sesi estão reunidos nos laboratórios de robótica diante de uma impressora 3D. É dia de mais uma oficina tecnológica e, para os estudantes e professores, a ferramenta representa uma verdadeira revolução em sala de aula: é possível imprimir desde sapatos até peças de avião, a depender do modelo da impressora e material disponível.

Na Escola do Sesi de Naviraí, por exemplo, a turma do 1º ano do Ensino Médio pôde visualizar os conceitos de gravidade. Com a impressora 3D, eles construíram o protótipo do chamado “pássaro de equilibro”, um antigo recurso aplicado em sala de aula pelos professores de Física que, impresso, levou o aprendizado da disciplina a outro patamar.

“O uso da impressora 3D revoluciona os ambientes de ensino e trazem um novo conceito de recurso didático, que torna o aprendizado mais interativo e dinâmico, otimizando nosso papel em sala de aula. O aluno, por outro lado, enxerga de maneira palpável a aplicação prática daquele conteúdo na vida dele, o que torna o aprendizado muito mais interessante”, avaliou o professor Anderson Douglas da Rocha, que leciona a disciplina de Física.

Outro aspecto que levou as escolas do Sesi a investirem em impressoras 3D educacionais é a familiarização dos alunos com a tendência “Maker”, que, com base no compartilhamento de informações e tecnologia, incentiva a ideia de que pessoas comuns podem construir, consertar, modificar e fabricar os mais diversos tipos de objetos e projetos.

Na Escola do Sesi de Aparecida do Taboado, o foco da oficina tecnológica, aplicada também entre os alunos da 1ª série do Ensino Médio, foi o uso do Tinkercad e Google Sketchup, as ferramentas mais usadas para modelagem e impressão de objetos em 3D. Após este mergulho no conceito “Maker”, os estudantes criaram e modelaram os próprios objetos que, depois de impressos, passaram pelo processo de acabamento, sendo refinados, lixados, polidos e pintados conforme o gosto de cada um.

“Todas as criações foram muito objetivas. Acredito que sempre que nós, professores, conseguirmos utilizar a teoria aplicando-a à prática do estudante os conceitos de competências e habilidades que serão cobrados dele no futuro, desde o ENEM até a incursão no mercado de trabalho, tornam-se mais fáceis”, avaliou o professor Washington Carvalho, responsável pela disciplina de Química e que conduziu a atividade.

Os alunos da Escola do Sesi de Dourados também colocaram a mão na massa e, no primeiro contato com a impressora 3D, construíram chaveiros. Orientados pelo professor Felipe Perez, a ideia da oficina foi mostrar como um desenho mão poderia se transformar em um desenho técnico, por meio do Tinkercad e, depois, observar os objetos tomando forma na impressora. Como resultado, foram mais de 30 modelos de chaveiros desenvolvidos e 70 deles impressos.

E para os alunos? Qual o papel da impressora 3D?

A estudante Beatriz Leal, aluna da 1ª série do Ensino Médio da Escola do Sesi de Naviraí, ouviu falar pela primeira vez em impressão 3D durante a oficina tecnológica. Em um primeiro momento, não entrou na cabeça da jovem como um equipamento poderia fabricar de uma só vez de peças muito complexas, de maneira personalizada e com menos matérias-primas, conforme explicou o professor.

Ao ver de perto a impressora em operação, Beatriz Leal entendeu o processo, aplicando-se um material chamado por camada graças a um sistema de deposição similar ao jato de tinta de uma impressora tradicional. “Fiquei impressionada, e ter isso aula é incrível. Ver e vivenciar isso na escola é muito estimulante, nos faz querer aprender ainda mais”, disse.

“Sempre tive a curiosidade de saber como funcionava a impressora 3D. Logo na primeira oficina, já aprendemos que o processo não envolve exatamente uma impressão, mas sim de modelagem, camada por camada. Foi uma experiência muito legal, que representa o futuro”, acrescentou o estudante Gabriel Leite, da 3ª série do Ensino Médio da Escola do Sesi de Aparecida do Taboado.

A rede de ensino do Sesi de Mato Grosso do Sul vem investindo cada vez mais em um ambiente de estímulo à concentração e absorção de conhecimentos. A impressora 3D é mais um reforço para as oficinas tecnológicas, aplicadas semanalmente em salas de aulas inovadoras, onde a lousa digital e tablets fazem parte do dia a dia do aluno. As oficinas permitem que os estudantes descubram novas formas de aprender, criar e colaborar, tornando natural para os alunos conceitos do mercado de trabalho do futuro, alinhado à Indústria 4.0.

Serviço – Para mais informações sobre o ensino do Sesi, vagas e matrículas basta acessar o site www.sesims.com.br/escola